Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Captura de Tela 2018-11-06 às 11.10.41
|

As eleições impuseram ao povo brasileiro um governo ilegítimo. A continuação do golpe de 2016 será encabeçada por um representante da extrema-direita, o fascista Bolsonaro. Juntamente com ele, militares, latifundiários e representantes da reação em todos os campos da vida política e social assumirão as rédeas do Estado. É diante deste cenário que nosso Partido e as massas se vêem. Que fazer? Esta é a pergunta a ser respondida pelo 10º Congresso Nacional do Partido da Causa Operária.

Dentro de 9 dias, entre 15 e 18 de novembro, o 10º Congresso do PCO deve discutir e tirar as conclusões da etapa política já ultrapassada, do período em que se realizou seu 9º Congresso, marcado pela ameaça permanente de um golpe militar, à atual etapa iniciada ao término das eleições presidenciais deste ano.

O 9º Congresso já forneceu uma resposta à ameaça de golpe militar tornada evidente em fins de 2017. O Partido discutiu sistematicamente os problemas da situação política, denunciou o golpe militar e as manobras dos golpistas ao longo do último ano. Fizemos um esforço para esclarecer as dúvidas e tornar consciente um amplo setor das massas sobre o perigo do golpe e os meios para derrotá-lo. Uma das tarefas do 10º Congresso é fazer o balanço dos esforços e da iniciativa do Partido neste último período.

O último ano foi marcado pela prisão de Lula. Pela imposição de uma derrota ao movimento de luta contra o golpe. Foi a tentativa da direita de por fim à polarização que ela mesma criou e tornou mais aguda ao derrubar o governo Dilma Rousseff. Uma tentativa que não poderia ter sido bem-sucedida sem a fraude eleitoral que elegeu Bolsonaro.

A direita apresenta sua vitória nas eleições como um ponto final para o capítulo aberto com o impeachment. É apenas a transição para uma nova etapa de luta, pois a direita é fraca e sua posição não é segura. Sabe que conquistou a presidência por meio da fraude, que a maioria da população não apoia Bolsonaro, que para permanecer no poder terá que lidar com o movimento de massas e que, ao fazê-lo com a violência e a ação decisiva de um golpe militar, corre o risco de insuflar os trabalhadores e dar novo impulso à luta contra o regime. O 10º Congresso deve discutir a campanha necessária para preparar esse enfrentamento inevitável. Deve orientar o Partido na ação para derrotar os golpistas.

A contradição entre a ameaça de um golpe militar e as perspectivas extremamente favoráveis à construção de um partido operário, revolucionário e comunista permanece inserida na atual etapa da situação política. O 10º Congresso deve fazer um balanço do crescimento do PCO e apontar o caminho para ampliar e fortalecer o Partido.

O Congresso deve trabalhar para manter a unidade ideológica do Partido, por meio da discussão democrática, para garantir sua unidade na ação. Às vésperas do seu Congresso, cabe a todos os militantes a reflexão, a tomada de consciência e a preparação para o debate.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas