100 dias de prisão do maior líder popular do Brasil

1979-03-not14049

Tratada pela imprensa golpista como justa e legal, a prisão do ex-presidente Lula na sede da Polícia Federal em Curitiba acaba de completar 100 dias. O fato que os grandes jornais e canais de televisão mais tentam esconder, no entanto, é a popularidade do líder petista, que está entre 30 a 40% do eleitorado, e vem sendo mantida ao longo de todos estes anos de calúnias e mentiras, incansavelmente lançadas na imprensa burguesa para enganar o povo e tentar jogá-lo contra ele.

Desesperados em manter o controle político do país, depois de o terem usurpado de Dilma Rousseff em 2016, os golpistas correm contra o tempo para impedir de todas as formas lícitas e ilícitas o registro da candidatura de Lula no dia 15 de agosto e, assim, poderem concorrer às [possíveis] eleições deste ano de forma menos escandalosa e fraudulenta.

Além do registro, eles querem impedir que Lula se comunique com as pessoas do lado de fora da prisão. Para tanto,  pressionam juízes e a opinião popular para que a conduta seja vista como “inaceitável” e jamais como um direito básico dos cidadãos.

Já conseguiram fazer com que a juíza aliada Carolina Lebbos impedisse a participação do ex-presidente em atos de pré-campanha e campanha, de debates e sabatinas, inclusive através de videoconferências, mesmo sem ele ter sido declarado inelegível pela Justiça Eleitoral. A imposição se deu por mero capricho da juíza, que não tem jurisdição eleitoral e resolveu dar uma canetada nos direitos políticos de Lula. Mais um fato típico do estado de exceção que estamos vivendo.