Irã e 1 ano de Bolsonaro
Disponível no canal da COTV na internet, a Análise Política da Semana pode ser acompanhada presencialmente em São Paulo e nas demais cidades do País que possuem CCBP’s
capa-anaxxlise3
Rui Costa Pimenta na 1ª Análise Política da Semana de 2020: Arquivo DCO 2020 |

Neste sábado (4) ocorreu o 1º programa Análise Política da Semana do ano. O mais tradicional da Causa Operária TV (COTV), onde semanalmente o presidente nacional do Partido da Causa Operária (PCO) Rui Costa Pimenta faz a análise de conjuntura da situação nacional e internacional sob um ponto de vista marxista.

Dois mil e vinte, ainda em sua primeira semana, já viu acontecimentos importantes para a situação política nacional e internacional. Nesta edição RCP abordou temas como a nova ofensiva norte-americana contra o Irã, um ano do governo Bolsonaro e a polêmica sobre o caráter das jornadas de junho de 2013.

Todos acontecimentos da maior relevância e que foram cuidadosamente analisados, de um ponto de vista científico, para orientar a intervenção correta na luta política.

Irã

O 1º tema abordado foi o assassinato do general Qassem Soleimani (número 2 no comando do Irã) pelo imperialismo estadunidense, na madrugada da última sexta (3) em Bagdá, no Iraque. Rui Costa Pimenta explicou o ponto de partida da crise atual – a morte de um empresário norte-americano ligado as forças armadas dos EUA – a retaliação dos EUA contra Irã e o Iraque, assassinando o general Soleimani e líderes do Hezbollah e fazendo com que a crise escalasse, uma vez que a agressão imperialista dos EUA foi vista no mundo todo como uma declaração de guerra contra o Irã, que prometeu retaliações contra o imperialismo.

Também foi destacado que após 25 militantes do Hezbollah, do Iraque, serem mortos por bombardeios dos EUA, integrantes da organização invadiram a Zona Verde, onde fica a embaixada dos EUA no Iraque e tocaram fogo em alguns prédios exteriores, num protesto vigoroso, que por pouco não tomou a própria embaixada.

Para o presidente do PCO, isso ocorre em função do agravamento da crise do controle do imperialismo sobre a região do Oriente Médio. Nos últimos anos, os EUA fizeram uma série de restrições econômicas ao Irã, tentando impor um regime de terror ao País, para enfraquecer o regime político atual e provocar divisões internas nas forças armadas com o objetivo de derrubar o governo.

RCP concluiu que o Irã, que continua sendo o país mais industrializado do Oriente Médio, protagonizou em 1979 uma revolução na esteira da crise do petróleo em 1974, que resultou na explosão de vários movimentos revolucionários, como a revolução em Portugal e o levante dos trabalhadores na Polônia. Foi assim que o Irã se libertou do regime monárquico imposto pelos EUA. O que e agravou nos últimos anos, na medida em que o imperialismo sofreu com a crise de sua dominação e o Irã ganhou posições e influência em vários países da região, tornando-se o principal país da região opositor do imperialismo.

Um de Bolsonaro

Rui também falou sobre o balanço deste 1º ano de governo Bolsonaro. Disse que apesar das centenas de ataques do governo golpista contra a população, a esquerda se resumiu a encerrar o ano com balanços que apenas listam ataques do governo contra a população sem, no entanto, oferecer qualquer explicação sobre a estratégia e tática política da esquerda, que sob a política da “resistência”, focou seus esforços na demagogia eleitoral e parlamentar, não se enfrentou contra o governo e fez campanha ativa contra o fora Bolsonaro.

Sobre 2013

O último tema abordado foi a polêmica sobre o caráter das manifestações de 2013, que veio a tona após o ex-presidente Lula ter denunciado a infiltração golpista dos EUA no movimento e ter sido criticado por setores da esquerda, como o PSOL. Rui explicou que as manifestações de 2013 começaram com o Movimento Passe Livre (MPL) contra o aumento das passagens, intensificaram-se após a repressão brutal do governo Alckmin (PSDB-SP) e se espalharam pelo país numa série de outras reivindicações. Explicou que a direita golpista viu na liderança anarquista do movimento uma oportunidade para projetar sobre ele um outro significado político: o ataque ao governo Dilma, a campanha contra a corrupção, etc. Concluiu que Lula está correto sobre a infiltração dos EUA no movimento e que ao negar isso setores da esquerda, como o PSOL, somam-se ao imperialismo.

A análise apresentada por Rui Pimenta já se tornou uma referência para o movimento da luta contra o golpe e tem chamado atenção pelos seus prognósticos acertados ao longo dos anos. Desde 2012, o PCO denuncia o avanço da extrema-direita no mundo e a ofensiva do imperialismo sobre os governos nacionalistas latino-americanos. Neste sábado (4), o programa foi transmitido pelo canal da Causa Operária TV no youtube e também pôde ser acompanhado presencialmente no Centro Cultural Bénjamin Péret, em São Paulo e em Curitiba.

Imperdível para quem quer se informar do ponto de vista dos trabalhadores, para assistir presencialmente aos sábados, basta entrar em contato com os CCBP’s em todo o País.

Relacionadas