10/08: Comitês de Luta decidem mobilizar junto com a CUT contra o golpe e pela greve geral

cut

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) está convocando os milhares de sindicatos a ela filiados para um dia nacional de mobilizações e paralisações, em 10 de agosto, em todo o País.

Segundo o chamado da CUT, a mobilização tem o objetivo impulsionar a luta pela liberdade de Lula, contra o governo golpista suas medidas (PEC55, Reforma do Ensino Médio, Reforma Trabalhista, etc.), que começaram a ser colocadas em prática a partir do impeachment fraudulento da presidenta Dilma, ações essas que atacam diretamente todos os direitos da classe trabalhadora.

No debate realizado na Conferência Nacional de Luta Contra o Golpe, realizada em São Paulo, no último fim de semana, ativistas de centenas de comitês expressaram a compreensão de que é preciso aproveitar a ocasião para transformar os atos desse dia em uma luta efetiva contra o Golpe.

A Conferência aprovou ainda que é necessário ainda aproveitar o “Dia do Basta” para convocar e reforçar a mobilização em direção ao grande ato nacional que ocorrerá dias depois, em Brasília, no dia 15/08. Na ocasião, será solicitado o registro da candidatura de Lula, que a direita golpista quer impedir.

A deliberação da Conferência expressa a compreensão crescente entre o ativismo das organizações que lutam contra o golpe de que não serão por meio das instituições do regime golpista, dominadas pela direita pró-imperialista, nem através de eleições fraudulentas, que será possível a derrota do golpe, a libertação de Lula e a sua candidatura, mas apenas por meio de uma ampla mobilização popular.

As resoluções da Conferência apontam que “para derrotar o golpe e fazer com o Judiciário dominado pelos golpistas cumpra a Constituição, libertem Lula e inscrevam sua candidatura é preciso uma gigantesca mobilização popular, com os métodos próprios de luta da classe trabalhadora, tendo à frente a classe operária e suas organizações combativas”, daí a necessidade  de “uma enorme campanha de propaganda por uma greve geral: se não registrar, o Brasil vai parar!”

Nesse sentido, a Conferência decidiu “convocar os comitês a participarem das mobilizações do dia 10, convocadas pela CUT, apoiando essa perspectiva de luta e denunciando a política reacionária das organizações infiltradas no movimento de luta dos trabalhadores que apoiaram o golpe e se recusam a lutar pela liberdade de Lula (como a Força Sindical e Conlutas) e querem fazer no dia 10 mais um dia de encenação, um dia de luta sem lutas”.