Dia de Hoje na História
A tomada do palácio do governo em Belém dá início à Cabanagem, que representou um enfrentamento com as oligarquias, contra a pobreza e manteve os cabanos durante 10 meses no poder.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cabanagem
Combate nas ruas de Belém, capital da província do Grão-Pará | Reprodução

Em 06 de janeiro de 1835, a Cabanagem teve início com a tomada do quartel e do palácio do governo de Belém por parte dos índios tapuias, cabanos e negros, liderados por Antônio Vinagre. Os protagonistas da revolta foram os indígenas e os cabanos, que viviam amontados em cabanas de barro à beira dos rios, utilizados como força de trabalho escrava na província do Grão-Pará.

Elementos da burguesia latifundiária local descontentes com a política do governo imperial e setores intelectuais de classe média uniram-se aos cabanos pobres na insurreição contra o governo regencial, que representava um período de transição entre Dom Pedro I e Dom Pedro II. A ideia era aumentar a importância do território e enfrentar a questão da pobreza. Contudo, no período anterior, houve uma série de enfrentamentos da população com as forças reacionárias no Grão-Pará queriam que a região se mantivesse como uma colônia portuguesa.

Após a tomada do governo de Belém, as forças populares assassinaram o presidente da província, nomeado diretamente pelo governo central. Instituiu-se um novo presidente, Clemente Malcher, e as armas foram tomadas em favor dos revoltosos. Contudo, este último traiu o movimento, uma vez que se identificava com os interesses das classes dominantes. Sucedeu-se um conflito entre as suas tropas e as do outro líder, Eduardo Angelim, tendo estas saído vitoriosas. Os cabanos conseguiram manter o controle sobre a província por aproximadamente 10 meses.

Com o intuito de sufocar a Cabanagem, tropas imperiais foram enviadas à província. A capital Belém foi submetida a intensos bombardeios. Como os cabanos não se rendiam, o Império promoveu um extermínio em massa contra a população paraense. Estima-se que entre 30% a 40% da população de cem mil pessoas tenha morrido. Isso dá uma ideia da amplitude da adesão do povo à revolta e demonstra a dificuldade de sufocar a revolta.
A independência do Brasil foi uma conquista da população contra o domínio da metrópole portuguesa. A República constituiu-se como um grande avanço, na medida em que se pôs fim à escravidão e se permitiu que a população participasse, ainda muito embrionariamente, na definição dos rumos do país.

Por sua vez, a Cabanagem representou uma revolta popular contra o domínio político das oligarquias, contra o poder central e contra as condições de vida as quais a população estava submetida. Além disso, tratou-se de uma luta contra os setores reacionários que queriam a recolonização da província e do Brasil.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas