África
A guerra de libertação de Angola durou treze anos, terminando em 1974. Os guerrilheiros resistiram às ofensivas militares portuguesas e suas vitórias levaram a ditadura ao colapso.
Proclamação da independência de Angola. Momento em que é hasteada a bandeira de Angola. Fotomontagem da bandeira. © Proibido o uso editorial sem autorização da Global Notícias. Esta fotografia não pode ser reproduzida por qualquer forma ou quaisquer meios electrónicos, mecânicos ou outros, incluindo fotocópia, gravação magnética ou qualquer processo de armazenamento ou sistema de recuperação de informação, sem prévia autorização escrita da Global Notícias.
11 de novembro de 1975, Angola se torna indepedente de Portugal: Xavier Bescós no Twitter |

No dia 04 de Fevereiro de 1961, começou a guerra de independência de Angola. Um grupo de 200 angolanos, ligados ao Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), o mais importante movimento armado de libertação nacional, atacou a Casa de Reclusão Militar de Luanda, a cadeia da 7ª Esquadra de Polícia, a sede dos Correios (CTT) e a Emissora Nacional de Angola.

Os portugueses já estavam há quatro séculos no território africano. Contudo, no final do século XIX, as potências europeias realizaram a Conferência de Berlim (1884-1885), que foi responsável pela divisão do continente africano em áreas de dominação colonial da França, Inglaterra, Espanha, Portugal, Alemanha, Bélgica e Itália. Segundo o acordo político realizado na Conferência, a Portugal pertenciam os territórios de Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

A partir da definição de seus territórios, os portugueses iniciaram expedições de conquista e campanhas militares de “pacificação” dos povos, que foram totalmente dominados graças à superioridade bélica europeia e seus exércitos modernos. Uma política de brutal exploração foi implementada nesses territórios, que permaneciam sob permanente vigilância da Polícia Internacional de Defesa do Estado (PIDE) e das Forças Armadas portuguesas. Qualquer sinal de rebeldia da população era ferozmente reprimido, inclusive com prisões em campos de concentração. O mais famoso era o de Tarrafal, para onde os militantes das organizações de libertação nacional eram enviados para morrer lentamente.

Angola era a colônia mais importante de Portugal, devido às suas riquezas minerais. Também foi a primeira colônia a iniciar a guerra de libertação nacional, em 1961, a qual se seguiram Guiné-Bissau (1963) e Moçambique (1964). Os treze anos de guerra de libertação nacional de Angola, que forçaram a metrópole colonial a gastos militares astronômicos, e as vitórias do MPLA na guerra de guerrilhas contra as expedições de extermínio, levaram o regime salazarista ao colapso definitivo na Revolução dos Cravos em 1974, favorecendo a independência de Angola no ano seguinte.

 

 

 

Relacionadas