Dia de Hoje na História
Após anos de fracassos organizados pela burocracia stalinista, tem início a guerra com a criação de milícias contrárias ao governo do Vietnã do Sul
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
viet_cong002
Soldados do Viet Cong | Foto: Reprodução

A Guerra do Vietnã foi um dos conflitos mais importantes de todo século XX. Apesar dos erros de seus líderes, principalmente no que diz respeito aos acontecimentos que acabaram por gerar a guerra, o feito histórico demonstrou de uma vez por todas que nem o setor mais forte do imperialismo é capaz de derrotar uma revolução.

A guerra é precedida pela segunda guerra mundial, em que, ainda sendo uma colônia da França, os comunistas da Indochina (hoje composta por Vietnã, Laos e Camboja) são instruídos pela União Soviética de Stálin a lutarem pela liberdade da França após a criação da chamada República de Vichy, que nada mais era do que um estado fantoche dos alemães nazistas. Durante o período, os japoneses, aliados da Alemanha, também invadiram o território.

Após a queda da Alemanha na guerra, os japoneses acabaram por expulsar os franceses do território, que eram aliados ao partido nacionalista Viet Mihn, criando um estado imperial colonizado pelos japoneses. Com a dominação japonesa e uma grave crise de fome que se seguiu, o Viet Mihn acabou por incentivar saques a depósitos de comida e a dominação se encerrou com a rendição dos japoneses na guerra.

A burocracia soviética não só impediu que o povo da Indochina se levantasse contra o imperialismo de conjunto, como determinou que a área pertencia ao imperialismo francês, durante a Conferência de Berlim, quando a burocracia agiu como um estado imperialista decidindo a partilha de todo o planeta. No entanto, forças chinesas tomaram o norte do país, enquanto os britânicos acabaram tomando o sul.

Em 1946, houveram eleições no país, com o norte votando massivamente no Viet Mihn de Ho Chi Mihn. Com a saída gradual dos chineses da região, o stalinismo mais uma vez ajudou o imperialismo e fez o líder vietnamita assinar um acordo com os franceses, para que eles fossem ocupando gradualmente a região em troca de fazer com que o norte fosse uma república livre dentro da comunidade francesa.

Os imperialistas tomaram o norte e expulsaram o Viet Mihn do território, o que fez com que o partido iniciasse uma guerrilha contra a dominação imperialista, o que deu início à chamada Primeira Guerra da Indochina, o que envolveu todo o Vietnã, mas também o Laos e o Camboja.

Nesse período, após uma mudança nas orientações da burocracia soviética, os países ditos socialistas passaram a pressionar para que o Vietnã fosse independente, com sede em Hanói.

Os vietnamitas expulsaram os franceses do país apenas em 1954. No entanto, mais uma vez a burocracia soviética realizou um acordo com o imperialismo, na Conferência de Genebra em 1954. Ali, ficou decidido que o Vietnã seria temporariamente dividido entre o norte e o sul, até que eleições realizadas em 1955 reunificassem o país.Contra sua vontade, Ho Chi Minh foi instruído a embarcar totalmente nas eleições.

Ho Chi Minh acabou por ser eleito no norte, enquanto no sul em uma eleição completamente manipulada, o católico de extrema direita Ngô Đình Nhu foi eleito, dando início a uma grande perseguição aos socialistas, mas também a grupos de outras religiões que não a sua, em um país majoritariamente budista.

Em novembro de 1955, guerrilhas começaram a se formar, embora a revolução no Vietnã do Sul começasse de fato cerca de 4 anos depois. Dentre essas guerrilhas, estiveram os famosos Viet Cong, que significavam nada mais do que “Comunistas do Vietnã”.

Embora desde o início o norte sempre tenha ajudado as organizações do sul, somente em 1960 é que a guerra de fato entre os dois estados se inicia, com exércitos de ambos os lados. O imperialismo (principalmente os EUA) agia em favor do sul, levando armas e suprimentos, porém, somente em 1965 os Estados Unidos entrariam na guerra, após criarem um atentado falso contra um de seus próprios navios no Golfo de Tolkin, com a tentativa de incitar a população a favor da guerra. Em 2005, veio à tona que tudo foi uma armação do próprio estado dos EUA, após a divulgação de documentos secretos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas