PCO-DF realizou rodada de palestras contra o golpe, a prisão de Lula, e a intervenção militar no Rio neste fim de semana

palestra

Como parte da rodada nacional de palestras-debate promovidas pelo Partido da Causa Operária, que tem como tema: “A luta contra o golpe, a prisão de Lula e a intervenção militar no Rio de Janeiro”, neste final de semana os militantes de Brasília realizaram a atividade em dois locais, podendo assim agrupar diversas pessoas diante dessa importante discussão para que se tome os próximos passos na luta contra o golpe.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

No sábado, a atividade foi realizada na Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Brasília, contando com a presença de todos aqueles que estão dispostos a travar a luta contra o golpe e apoiam a política combativa de luta colocada pelo PCO. A palestra foi conduzida pelos companheiros, Renan de Arruda do Sindicato dos Bancários DF e Ricardo Machado também dos Sindicatos do Bancários e diretor da CUT-DF.

Fazendo um grande apanhado acerca do desenvolvimento do cenário político até a consolidação do golpe de Estado dado no país, os companheiros destacaram os desdobramentos do golpe, que se iniciou com a derrubada de Dilma Rousseff que fora eleita legitimamente por 54 milhões de votos, até a prisão da principal liderança popular do país, Luis Inácio Lula da Silva, que culminou na derrota da esquerda que optou por acreditar nas instituições golpistas.

Para além da discussão, a atividade prontamente teve o papel de impulsionar a ação no próximo momento, e essa ação se dá justamente por meio da intensificação nos trabalhos dos comitês de luta contra o golpe e pela sua ampliação por todo o país.

Os comitês, obtiveram grande importância na campanha contra o golpe e contra a prisão de Lula, agora o momento é de fazer uma intensa agitação política por sua libertação.

Com saldo bastante positivo, a atividade demonstrou qual o caminho e a política correta a se aplicar neste momento e que, somente será com uma ampla mobilização popular e por meio dos comitês de luta contra o golpe, com a palavra de ordem “Liberdade para Lula. Nesse sentido, por fim se fez o chamado aos companheiros e a todos os trabalhadores para se organizarem diante da realização de um grande ato no 1º de maio em Curitiba.