Em assembleia farsa, Temer e golpistas votam por telefone privatização da Eletrobrás

Compartilhar:
Em assembleia farsa, Temer e golpistas votam por telefone privatização da Eletrobrás

Nesta quinta-feira (08) os golpistas votaram mais um de seus ataques contra o povo brasileiro, mas dessa vez a atitude dos golpistas extrapolou o absurdo.

Tentando impedir que se realizasse uma ampla assembleia Geral que envolvesse os trabalhadores, a empresa realizou uma reunião fechada com os acionistas de maneira absurda, pois vários acionistas não participaram presencialmente, mas por videoconferência e até mesmo por telefone.

Além disso, o diretor da Associação dos Empregados da Eletrobrás (representando os trabalhadores), Emanuel Mendes Torres, foi impedido de participar da reunião.

A verdade é que esta reunião foi um absurdo total, altamente antidemocrática e cujo único propósito foi facilitar a entrega do patrimônio nacional para os capitalistas inimigos do povo brasileiro. Nesta reunião ficou decidido que seis distribuidoras de energia da região Norte do país serão privatizadas sendo elas: Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Boa Vista Energia, Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas Energia), Companhia Energética do Piauí (Cepisa) e Companhia Energética de Alagoas (Ceal).

Como já era de se esperar, o governo golpista de Michel Temer, representando a União que possui 51% do capital votante, votou a favor da privatização, entregando de bandeja o patrimônio do povo brasileiro. A privatização dessas empresas não trará nenhum benefício para a população, nem para os consumidores nem para os trabalhadores, será benéfica apenas aos bancos e grandes investidores que poderão explorar a venda de energia durante 30 anos, pagando apenas o valor simbólico de 50 mil reais.

Para levar adiante tal ação o governo contou com a autorização do serviçal dos banqueiros no governo, o Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que assinou o voto favorável a privatização em nome da União. A venda destas empresas é mais um ataque dos capitalistas e dos banqueiros às empresas estatais, pois eles enxergam ai uma fonte de recursos altamente rentável, aumentando o custo da energia para a população, precarizando cada vez mais os serviços oferecidos e explorando ainda mais os trabalhadores.

A decisão da reunião foi tomada contra a vontade dos trabalhadores, que protestaram contra a reunião em frente ao prédio da Eletrobrás no mesmo horário. Apesar da pressão dos trabalhadores, a decisão de privatizar as distribuidoras, um passo a mais na privatização total da empresa, já havia sido tomada pelo governo golpista de Temer em conluio com os banqueiros, e fi por isso que eles nem mesmo esperaram a presença de todos os acionistas, fazendo uma reunião absurda por telefone. Assim, ficou definido que o edital de privatização será lançado no dia 15 de março e o leilão ficou marcado para 30 de abril.

Rascunho automático 67

É preciso que cada vez mais os trabalhadores se coloquem contra a onda de privatização promovida pelo governo golpista de Michel Temer a mando dos banqueiros e capitalistas estrangeiros. Para tanto devemos aprofundar a luta contra o golpe de Estado e contra os golpistas, para que possamos derrotar todos os ataques contra o povo de conjunto, derrotado não apenas as privatizações, mas também a reforma da CLT, da Previdência, etc.

artigo Anterior

Colunistas da COTV: “Golpistas tentam, mas não conseguem esconder as manifestações contra o golpe”

Próximo artigo

Lula é o centro da luta política

Leia mais

Deixe uma resposta