“Meus estabelecimento, minhas regras” diz PM ao barrar jovem negro de entrar em shopping

Compartilhar:
Mais episódios racistas

Um jovem negro  foi agredido e impedido de entrar no Grand Plaza Shopping, em Santo André, por seguranças do local na noite do último sábado.

Por meio de carta aberta à comunidade, sua mãe,a professora Xênia Araujo, 35 anos, denunciou a  situação de violência vivida pelo filho, Nathan Vinícius Araújo de Souza de 15 anos.

O rapaz, estudante e atleta, mora em São Caetano do Sul, estava dentro do Shopping com amigos quando receberam a informação de que estaria sendo realizada competição de dança fora do shopping. Eles saíram do shopping para assistir ao evento e quando retornaram foram barrados pelos seguranças. Segundo Nathan: “Tinha uma mulher e um homem, além de um policial à paisana. Ele deixou todo mundo entrar e a gente não. O que mais me irritou foi que todos os que entraram tinham a pele branca”.

Após indagar os seguranças, Nathan relata que um homem que se apresentou como policial a paisana, disse: “Meu estabelecimento, minhas regras”. “Quando questionei de novo ele disse: ‘Não me irrita não, moleque’. Após isso o segurança o agrediu com um forte tapa no rosto.  “Não pude fazer nada, porque ele estava armado. Me senti triste e impotente. Quero justiça, que isso não aconteça com mais ninguém”, ressalta o jovem, que fez boletim de ocorrência junto à mãe.

São diversos casos de abusos dessa guarda fardada, onde muitos são da própria PM, passando por cima da lei, desrespeitando, agredindo, espancando e matando, isso é a força bélica da burguesia que agora também se manifesta no fascismo da “segurança privada”.

Rascunho automático 67

Essa segurança foi criada para proteger a riqueza e o poder da burguesia sobre o povo. Para isso devemos lutar nas ruas, formar comitês de negros contra o golpe em fábricas, escolas, bairros e no campo, para organizar trabalhadores em torno de seus interesses. Não aceitar mais que milicianos ataquem abertamente, de forma agressiva e armada, as organizações do povo.

artigo Anterior

Neonazistas agridem jovem negro no Ceará

Próximo artigo

Milhares De mulheres saem às ruas na Polônia em protesto contra o endurecimento das regras para aborto aprovado pelo Parlamento

Leia mais

Deixe uma resposta