Morre Ruy Faria, do MPB4

Compartilhar:

Ruy Alexandre Faria, cantor, compositor, produtor musical e fundador do grupo musical MPB4, morreu nesta última quinta-feira (11) devido a falência múltipla de órgãos decorrente de uma pneumonia.

Nascido no dia 31 de Julho de 1937, no Município de Cambuci, no Rio de Janeiro, Ruy Faria foi integrante do Centro Popular de Cultura (CPC) ligada a União Nacional dos Estudantes (UNE) e que depois se profissionalizando como músico.

O CPC era uma organização, um grupo de intelectuais de esquerda, com o objetivo de criar e divulgar uma arte popular revolucionária, e reuniu artistas de diversas áreas, como teatro, música, cinema, literatura e artes plásticas, para defender o caráter coletivo e didático da obra de arte, bem como o engajamento político do artista. O grupo foi extinto pelo golpe militar em 1964.

No MPB4, Ruy permaneceu por 40 anos como vocalista principal, saindo em 2004 por divergências comercias e substituído por Dalmo Medeiros. Roteirista de inúmeros espetáculos do MPB4, como “Canções e momentos”, “Feitiço carioca” (em homenagem a Noel Rosa em 1987), “Melhores momentos” (em homenagem aos 30 anos do Canecão/RJ) e, com Miguel Fallabella e Maria Carmem, “Arte de cantar” (em comemoração aos 30 anos de carreira do grupo).

Rascunho automático 67

Atuou também como diretor artístico do CD “Melhores momentos”, gravado ao vivo pelo MPB4 no Teatro Rival. Produziu e dirigiu o próprio álbum “Amigo é pra essas coisas” entre tantas outras obras. Deixando assim um legado extraordinário para música e arte brasileira.

artigo Anterior

Salário dos terceirizados, por Jota Camelo

Próximo artigo

Primeiro-ministro de papelão da Tailândia é mais autêntico que nossos golpistas de carne e osso

Leia mais

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: