Quem disse que trocar Dilma por Temer era trocar seis por meia dúzia é cúmplice pela “reforma trabalhista”

Compartilhar:
Quem disse que trocar Dilma por Temer era trocar seis por meia dúzia é cúmplice pela "reforma trabalhista" 1

A famigerada “reforma trabalhista” do governo golpista de Michel Temer está em vigor a dois meses, e vem destruindo direitos adquiridos pelos trabalhadores ao longo de décadas de luta.

Trabalhadores que estavam com processos trabalhistas na justiça do trabalho, antes da vigência da “reforma”, estão perdendo processos ganhos e tendo ainda que pagar altas indenizações para os patrões.

Além do estrago que a “reforma trabalhista” dos golpistas está fazendo nos direitos dos trabalhadores, o golpe provocou o corte de verbas públicas para serviços públicos, venda de patrimônio do povo brasileiro, como setores da Eletrobrás, Portos, o controle do pré-sal, e se preparam novamente para aprovar a “reforma da Previdência”, afim de acabar com a aposentadoria dos trabalhadores.

Em pouco mais de um ano de golpe de Estado, de governo Temer, os trabalhadores retrocederam há décadas em seus direitos e conquistas no Brasil. O desemprego está aumentando, a miserabilidade e a fome está sendo novamente computada nos índices sociais do país.

Diante dessa devastação de direitos que está sendo realizada pelos golpistas, não podemos esquecer que grupos da esquerda pequeno-burguesa no Brasil, como o PSTU, setores do PSOL e demais organizações que participam da pseudo “central sindical” da Conlutas, defendiam a derrubada do governo Dilma, mesmo sabendo que uma das consequências dessa política era que o vice Michel Temer, assumisse o governo.

Diante desse perigo, esses grupos de esquerda que se alinhavam à mesma política da direita coxinha, de derrubar Dilma a todo custo, argumentavam que trocar Dilma por Temer era “trocar seis por meia dúzia”.

Ou seja, que o governo Dilma também iria acabar com a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), congelar os orçamentos públicos por 20 anos na área da Saúde, Educação etc, entregar todo o nosso patrimônio (empresas, petróleo, riquezas minerais) aos grandes capitalistas internacionais e por fim liquidar com a aposentadoria do brasileiro. Uma bizarrice de esquerda.

Se realmente fosse como setores da esquerda pequeno burguesa dizia, não haveria motivo nenhum para que a burguesia golpista promovesse um golpe de estado no Brasil, colocando dirigente do PT na cadeia e derrubando o governo de Dilma no “tapetão”, comprando deputados para aprovar o impeachment, já que Dilma iria fazer o mesmo que o governo golpista.

É por esse motivo que os grupos que defenderam e reforçaram a derrubada do governo do PT, através do golpe são cúmplices da política de ataque aos trabalhadores pelo governo golpista, como a “reforma trabalhista”.

Enquanto a direita atacava o governo do PT e Dilma por corrupção, para dar o golpe e aprovar leis contra os trabalhadores, a esquerda pequeno burguesa facilitava a vida da direita, fazendo propaganda de que a derrubada do governo do PT, o golpe não mudaria nada na já precária vida da população trabalhadora no Brasil.

Rascunho automático 67

A cobrança da conta que a população brasileira está para fazer com os golpistas, tem cúmplices, a esquerda pequeno burguesa foi fiadora dessa política, e como tal também é responsável por essa dívida.

artigo Anterior

Coxão e Coxinha

Próximo artigo

“Modernidade” da reforma: ministro golpista do TST libera patrões para demitir em massa

Leia mais

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: