Esquerda não aprendeu: militares têm corrupção mas nunca tem escândalo

Compartilhar:
Esquerda não aprendeu: militares têm corrupção mas nunca tem escândalo

O Ministério Público Militar denunciou na última semana 11 pessoas, dentre elas cinco militares, por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro público por meio do estabelecimento de contratos falsos entre empresas de fachada e órgãos de administração do Exército, como o Departamento de Engenharia e Construção, o DEC, e o Centro de Excelência em Engenharia e transporte, o CETRAN.

Os militares, dentre eles três coronéis da reserva, agiam para facilitar as licitações com as empresas de fachada. Os projetos nunca foram concluídos, ao todo foram desviados cerca de R$ 150 milhões entre 2005 e 2010.

A denúncia de corrupção envolvendo os militares evidencia que de “honesto” o Exército, sua alta cúpula, não tem nada. Muito mais que os políticos, os militares estão envolvidos em esquemas de desvio de dinheiro público, corrupção, isso sem falar na violência contra o povo, como vem acontecendo na favela da Rocinha, ocupada pelos militares.

O próprio esquema de  pagamento de propinas envolvendo grandes empresas, como a Odebrecht, por exemplo, se estabeleceu durante o regime militar. De acordo com o historiador Pedro Henrique Campos, “a Odebrecht ganha as obras justamente por sua inserção na Petrobras e pelo fato da Petrobras ser uma empresa controlada por uma direção em boa medida militar, antes e durante a ditadura.”

Após a última denúncia envolvendo os militares, vários blogs, além de páginas da esquerda passaram a dar visibilidade à denúncia. O que é correto, no entanto, expõe, por outro lado, que quando se trata de corrupção envolvendo militares os casos não ganham qualquer repercussão na grande imprensa. Ou seja, não se tornam um espetáculo público, um escândalo, como é feito com a esquerda.

A direita e a imprensa golpista buscam preservar a imagem de “pureza” e “santidade” dos militares. Mesmo que historicamente estejam envolvidos nos mais absurdos casos de violação dos direitos do povo.

artigo Anterior

Imprensa que ataca a Venezuela ignora o golpe em Honduras

Próximo artigo

Inscrições da 41º Universidade de Férias do PCO estão abertas

Leia mais

Deixe uma resposta