Bradesco: aprofunda os ataques aos trabalhadores após a aquisição do HSBC

Compartilhar:
Bradesco: aprofunda os ataques aos trabalhadores após a aquisição do HSBC

Novas ameaças com fechamento de um centro administrativo do Bradesco em Curitiba pode colocar no olho da rua mais 780 trabalhadores.

Rascunho automático 67

Com a aquisição do banco HSBC, com os seus 21 mil trabalhadores, pelo Bradesco, a direção golpista do banco tratou de partir para uma ofensiva contra os trabalhadores através de demissões em massa. Somente com o Plano de Demissão implantado pelo Bradesco neste ano foram demitidos 7.400 bancários em todo o País. O que chama a atenção é que dessas demissões o segundo maior número de demitidos, atrás apenas de São Paulo, foi o Estado do Paraná, onde era localizada sede do HSBC, com 2.577 despensas.

A última agora é o fechamento do Centro Administrativo Kennedy até março de 2018 com seus 600 funcionários e outros 180 do setor de cobranças do Centro Administrativo Hauer.

Em nome da tal reestruturação o Bradesco já fechou centenas de agências e postos de atendimento, realizou milhares de demissões. Com a desculpa esfarrapada da criação de agências digitais de que os clientes passaram a usar celular e internet para serviços bancários os banqueiros golpistas do Bradesco aprofundam os ataques os seus funcionários para manterem os seus fabulosos lucros.

É preciso organizar a mobilização de toda a categoria, junto com todos os trabalhadores, colocando nas ruas uma intensa mobilização pela anulação do impeachment, para derrotar o golpe que tem nos banqueiros nacionais e estrangeiros seus principais patrocinadores.

 

artigo Anterior

Plenária Nacional dos Comitês de Luta Contra o Golpe será em Belo Horizonte

Próximo artigo

Colunistas da COTV: “sem greve, golpistas agem para acabar com aposentadorias”

Leia mais

Deixe uma resposta