As consequências da privatização das escolas

Compartilhar:
As consequências da privatização

Um dos objetivos dos golpistas neoliberais de plantão é privatizar todos os serviços públicos de educação, saúde, transporte etc.
O novo alvo do governo paulista é a privatização das escolas públicas. Vão começar com 61 escolas com a parceria público -privada, os cargos de chefia serão num primeiro momento bem remunerados e dos subalternos, menores que os atuais.

Campanha Financeira 3

A privatização induzirá o aumento de alunos em sala de aula, quanto mais alunos por sala, menor o gasto das empresas com salas e professores; induzirá a eliminação de alunos que demoram mais para aprender, como os mais pobres e com necessidades especiais; fraudes com número de alunos atendidos, inflando este número e ocultando a evasão etc. Será o fim de diversos empregos e de milhares de escolas.

O movimento pela privatização não é nada mais do que um assalto aos cofres públicos com a finalidade de transferir os recursos da educação pública para a iniciativa privada.

Se hoje a escola pública é ruim, imagine-se privatizada, onde o que vai contar é o lucro da empresa administradora. Os números serão cada vez mais valorizados, pois o lucro é o princípio dos capitalistas, ninguém estará preocupado com o aprendizado e sim com os índices.

Será como as estradas privatizadas pelo pedágio, se você tiver dinheiro para pagar você trafega, se não, está proibido de frequentar.

Contra este ataque e vários outros que o governo tucano prepara, neste final de ano letivo, e para 2018, é preciso colocar a categoria de “prontidão”, organizando desde já a mobilização. Realizar uma ampla denúncia contra os planos tucanos de privatização de escolas e de defesa da escola pública, gratuita e de qualidade para todos.

artigo Anterior

Atalaia-AL: sem salários, aposentados e seus filhos passam fome

Próximo artigo

Não ao reajuste miserável dos patrões dos frios e da carne de São Paulo

Leia mais

Deixe uma resposta