6 de dezembro 1976 – Morre no exílio o ex-presidente João Goulart

Compartilhar:
6 de dezembro 1976 - Morre no exílio o ex-presidente João Goulart

João Belchior Marques Goulart, ou simplesmente Jango, como era conhecido, governou o país de setembro de 1961 a março de 1964. Nasceu em São Borja, no Rio Grande do Sul. Entrou para a política com o apoio de seu conterrâneo e amigo particular, Getúlio Vargas.

Campanha Financeira 3

Seu primeiro cargo público foi como Deputado Federal, em 1950. Logo depois foi Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio no segundo governo de Vargas. Como Ministro, ele concedeu muitos benefícios aos trabalhadores, inclusive aumentou o salário mínimo em 100%, fato que provocou sua renúncia, pois desagradou a muitos empresários.

Jango venceu duas eleições como Vice-presidente da República, sempre pelo PTB (Partido Trabalhista Brasileiro). A primeira vitória foi como segundo de Juscelino Kubitschek, em 1955. Após cinco anos, foi eleito vice de Jânio Quadros.

Com a renúncia do Presidente Jânio Quadros, em agosto de 1961, João Goulart deveria assumir o governo. Mas partidos da oposição, como a UDN (União Democrática Nacional) e os militares tentaram impedir a sua posse. Nesta ocasião, Jango, que era tido como simpatizante do comunismo estava em visita oficial à China (país comunista).

Seu governo foi marcado por uma grave crise política e social, que resultou na sua deposição, em abril de 1964. Identificado como um político simpatizante ao movimento comunista, Jango sofreu oposição do Exército que, com um golpe de estado, instaurou o regime militar no Brasil.

Após 12 anos vivendo no Uruguai, o ex-presidente João Goulart exilado, na cidade de Mercedes, no Uruguai, no dia 6 de dezembro de 1976. Jango foi vítima de um infarto fulminante, aos 47 anos, em sua fazenda, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai. Sua morte em condições muito duvidosas é atribuída aos militares.

artigo Anterior

Colunista ao vivo do dia, Henrique Áreas

Próximo artigo

À espera de um milagre 2018

Leia mais

Deixe uma resposta