Rosa Parks é presa por negar assento a homem branco em ônibus nos EUA

Compartilhar:
Rosa Parks é presa por negar assento a homem branco em ônibus nos EUA

Com um gesto simples mas de grande significado, no dia 1o. de dezembro de 1955 em Montgomery, estado do Alabama (EUA), Rosa Parks, uma costureira negra de 42 anos, entrou para a história ao se recusar a ceder seu lugar num ônibus para um homem branco que exigia que ela se retirasse para ele poder se acomodar.

Rascunho automático 67

Naquela época a segregação racial era permitida pelas leis norte-americanas e, principalmente nos estados do sul, havia leis que proibiam os negros de freqüentar alguns locais ou restringiam o acesso a transportes e acomodações em locais públicos e restaurantes.

Em função disso foi organizado um  boicote por jovem pastor chamado Martin Luther King  ao sistema de ônibus que duraria mais de um ano e, durante este período, os participantes buscaram as mais diversas alternativas ao transporte público, como andar a pé, bicicletas, carona e uso de carros particulares, tudo para evitar os ônibus.

Obviamente, o impacto foi sentido, já que os negros eram 70% dos usuários. Como resultado, a Suprema Corte dos EUA considerou anticonstitucionais as leis de segregação racial em Montgomery e no estado do Alabama no dia 13 de novembro de 1956. No dia 20 de dezembro, King anunciou o fim ao boicote, que terminou oficialmente no dia seguinte. Depois desta vitórias, muitos outros movimentos pela igualdade, baseados em atos de desobediência civil, estariam por vir

Rosa Parks entrou para a história como “a mãe dos movimentos pelos direitos civis”. Depois da aposentadoria, ela escreveu uma autobiografia. No final de sua vida, Rosa Parks passou a sofrer do Mal de Alzheimer. Ela morreu no dia 24 de outubro de 2005 de causas naturais, aos 92 anos. Seu corpo foi velado no Capitólio dos Estados Unidos, em Washington, uma homenagem prestada a poucos que não fizeram parte do governo norte-americano. Somente ela e o arquiteto francês Pierre L’Enfant, que projetou a capital dos EUA, já receberam a honraria.

A situaçao da populaçao negra e de opressao em todos os lugares o que muda é intensidade da opressao, rosa e um grande exemplo de luta que deve ser seguido, e essa resitencia deve partir da organizaçao da populaçao negra.

artigo Anterior

Repressão policial no jogo da Ponte Preta

Próximo artigo

Enquanto Justiça prende ex-vereador do PT em meio a julgamento, imprensa burguesa já apresentou veredicto de culpa

Leia mais

Deixe uma resposta