Aumenta a perseguição a Battisti

Compartilhar:
Aumenta a perseguição a Battisti oi

Em postagem no Facebook com data de 29/11, o professor aposentado da Unicamp, militante da Anistia Internacional e escritor, Carlos Lungarzo, denuncia que o escritor e ex-militante político italiano Cesare Batista, deve se apresentar à justiça  em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, a fim de receber tornozeleira eletrônica de monitoramento.

Rascunho automático 67

O que ocorre com Cesare Battisti, como denunciado por este Diário é a exata dimensão das arbitrariedades e ilegalidades perpetradas pelo judiciário com o golpe de Estado.

A única acusação que pesa contra Battisti é por evasão de divisas, pelo fato de que, supostamente, ter sido detido por tentar atravessar a fronteira do Brasil com a Bolívia, portando 6 mil dólares e 1.3 mil euros, quando a legislação brasileira permite portar no máximo R$ 10 mil, sem declaração.

O fato é que o crime de evasão de divisas não seria suficiente para aumentar a perseguição. Assim, a fim de justificar o injustificado, o juiz Odilon de Oliveira do (MS) se valeu do Estatuto dos Refugiados, que proibi aos estrangeiros nessa condição sair do País. A questão é que Battisti não é um refugiado, mas um estrangeiro em situação legal no Brasil com o status de imigrante.

O mais absurdo ainda é que ex-ativista será monitorado, sem crime que pese contra ele ou pelo menos crime que justificasse tamanho cerceamento e ainda fora de São Paulo, Estado em que reside. Cesare será levado para Campo Grande, local onde teria sido arquitetado um conluio entre o governo golpista de Temer, o judicário e a embaixada italiana, para raptá-lo e levá-lo para a Itália em um avião da Polícia Federal.

De acordo ainda com seu texto no facebook, Carlos Lunzargo faz um apelo àqueles que lutam pela permanência de Battisti no Brasil para ficarem atentos ao que está ocorrendo, pois “poderia ser mais uma armadilha da Itália, uma vez que MS está dominado por uma máfia, à qual pertence o juiz que o quis deixar preso, e do pessoal que preparou o avião militar que ia levá-lo a Roma durante o sequestro policial do dia 5 de outubro”.

O caso Cezare Battisti é emblemático da quebra do já limitadíssimo Estado de Direito que existia no país. A lei está totalmente a mercê daqueles que deram o golpe.

Por isso, ou se derrota o golpe ou seremos todos engolidos por ele.

artigo Anterior

O idiota da semana

Próximo artigo

Freixo deixa escapar: Boulos se juntará a Ciro e Manuela contra Lula

Leia mais

Deixe uma resposta