Golpista explica porque haverá intervenção militar

Compartilhar:
Depois dos coxinhatos pelo impeachment, extrema-direita vai às ruas pedir a ditadura militar

Em áudio que tem circulado no Whatsapp, um direitista apresenta os argumentos que demonstram a iminência do golpe militar. O autor do áudio, embora não seja militar, revela várias informações de quem claramente atua de maneira conspiratória.

Rascunho automático 67

Em determinada altura do áudio, o golpista, identificado como Bruno Guimarães, afirma que todo mundo é corrupto, inclusive o Supremo Tribunal Federal (STF), que possui ministros que também foram indicados por partidos e políticos corruptos. Essa é uma tentativa de mostrar a necessidade da intervenção, do golpe militar.

Ele, o autor do áudio, diz que o ex-militares devem evitar em falar em “ditadura”, e afirma que esteve em uma reunião no “QG dos ex-combatentes”, com o general Santa Rosa, general Abraão, general Paulo Chagas, “entre outros generais e outros intervencionistas”.

Nessa reunião, segundo o áudio, os militares orientaram que é preciso seguir todos os caminhos legais e constitucionais, até chegar ao limite, antes da intervenção, “não por imposição das forças armadas, mas por não haverem alternativas”.

A concepção do autor do áudio, e também dos militares, é que não se trata de uma deposição, de um golpe, pois não se pode dar um golpe em um governo que foi eleito através da corrupção, ou seja, um governo ilegítimo aos olhos dos milicos.

“Todos os partidos e todos os eleitos em 2014 utilizaram o dinheiro de corrupção”, afirma Bruno Guimarães, e que o próprio Gilmar Mendes havia dito a mesma coisa, mas que não faria nada em nome da estabilidade do regime.

Diz que o governo não quer a intervenção: “claro que não quer, são bandidos”, diz o autor do áudio, que afirma que todas as instituições são corruptas e que isso justificaria a intervenção militar.

O áudio mostra que existe, sim, um plano bem organizado para a intervenção militar. Que tem todo um setor das Forças Armadas disposto a levar adiante o golpe, sob as justificativas apresentadas pelo áudio que está sendo divulgado.

Este é mais um “alerta geral” como o próprio nome do áudio diz. É de fato, é preciso ficar alerta e já organizar a resistência contra o golpe militar, que a cada dia que passa, com o aprofundamento da crise do regime, é mais iminente.

artigo Anterior

Uzwela- conversa sobre cultura com a Cia Canina de Teatro de Rua e Sem Dono

Próximo artigo

Áudio: defensor do golpe diz que reserva está fazendo reuniões para preparar intervenção militar

Leia mais

Deixe uma resposta