Liberdade de expressão é acabar com o monopólio da imprensa

Compartilhar:
Liberdade de expressão é acabar com o monopólio da imprensa

Após as denúncias de que a Globo pagou propina para transmissão de jogos da FIFA, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, durante o Congresso do PCdoB no último domingo, defendeu a regulamentação dos meios de comunicação. Por mais moderada que fosse sua declaração, ela gerou a histeria da imprensa golpista.

Rascunho automático 67

Lula afirmou que “quem quiser ter um programa para querer governar este país daqui para a frente terá de encarar a regulamentação dos meios de comunicação”. E completou: “Eu quero que as universidades, os estudantes, os sindicatos possam se manifestar. Não essas famílias mandarem na comunicação do país inteiro”

O membro da organização de extrema-direita católica, Opus Dei, Carlos Alberto di Franco, apresentado angelicalmente pela direita como “jornalista”, em sua coluna regular no Estado de S. Paulo, tratou de atacar Lula. Segundo ele, o ex-presidente tem um projeto autoritário e se faz de vítima ao denunciar a perseguição política sofrida por ele, pelo PT e a esquerda em geral. Quer dizer, um representante da extrema direita fascista, escreve para um jornal golpista atacando o ex-presidente por ser “autoritário”. Como se pode ver, o cinismo da direita é impressionante.

Mas o cinismo é ainda maior:  para defenderem-se da declaração de Lula, os jornais golpistas começaram a afirmar que são uma “imprensa independente”. Ou seja, para a imprensa capitalista, financiada pelos banqueiros e grandes empresários, ela é imparcial e uma vítima do “ataque” de Lula.

Esta é a mesma imprensa que se colocou na linha de frente do golpe de Estado que simplesmente passou e está passando como um trator por cima da vontade dos trabalhadores e de todo o povo brasileiro. Logicamente que para dar um golpe, é preciso de muita calúnia, mentira e manipulação. Esta é a tal “imprensa independente”.

O fato, no entanto, é muito diferente. O que existe no Brasil é o monopólio da comunicação concentrado nas mãos de meia dúzia de famílias. Este sim um fenômeno totalitário. O direito fundamental da liberdade de expressão não existe no Brasil. São os grandes capitalistas que estão no controle da comunicação.

O único programa que defende a liberdade de expressão irrestrita é aquele que exige o fim desse monopólio. Este é o programa de interesse de todo o povo, que vai além do que defendeu Lula. É preciso acabar com esse monopólio, acabando com as concessões vitalícias de TV para meia dúzia de famílias, a começar pela rede Globo. É preciso a liberdade total de imprensa e a divisão dos canais de TV e rádio entre as organizações populares e dos trabalhadores.

artigo Anterior

Entrevista de Doria: vejam um analfabeto político defender a privatização

Próximo artigo

Frase

Leia mais

Deixe uma resposta