Greve nos Correios atinge 35 bases sindicais das 36 existentes

Compartilhar:

Os trabalhadores dos Correios estão em greve desde as 22 horas do dia 19 de setembro, no entanto, somente ontem (26/09) os trabalhadores dos Correios das bases sindicais de SP e RJ aderiram ao movimento.

Rascunho automático 67

Com a adesão dos trabalhadores de SP, RJ, mais os trabalhadores do estado do Maranhão e Tocantins que são bases sindicais aprisionadas pela política patronal da federação fantasma (Findect), a greve da categoria dos correios atinge nesse momento 35 bases sindicais das 36 existentes no país.

Somente a base sindical de Bauru, onde o sindicato é controlado pelo sindicalista do PMDB José Gimenes Gandara, presidente da federação fantasma, ainda não aprovou a greve.

Os sindicalistas da federação fantasma (Findect), que desde o início da campanha salarial dos Correios vem auxiliando a política da direção golpista da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) de impedir a greve da categoria, chegando ao ponto de atacar de irresponsáveis os sindicatos que iniciaram a greve, foram obrigados a convocar a greve nas bases sindicais que controlam, antes que os próprios trabalhadores chamassem a greve por fora deles.

No entanto, os sindicalistas da federação fantasma só entraram na greve, por medo da categoria, já que poderiam apanhar dos trabalhadores caso tentassem defender as posições da direção da ECT. Já começaram a sabotar a greve em SP e RJ, indicando que os trabalhadores só terão nova assembleia no dia 02 de outubro.

Nesse tempo a direção golpista da ECT irá começar a praticar o terror aos grevistas, com telegramas e comunicados de retaliações, e os grevistas de São Paulo e Rio de Janeiro estarão em suas casas, onde a pressão para a volta ao trabalho é a mais intensa possível.

É necessário a intervenção enérgica nas bases da federação fantasma, principalmente em São Paulo, dos trabalhadores que querem a vitória da greve, pois sem intervir em São Paulo, realizando assembleias por fora das assembleias de capangas dos sindicalistas traidores da federação fantasma, é impossível derrotar a política de privatização dos golpistas que controlam a ECT.

artigo Anterior

Pedro Parente, o “capachão” da privatização da Petrobrás

Próximo artigo

O fascismo arreganha os dentes no Brasil

Leia mais

Deixe uma resposta