No Rock In Rio “O bêbado e o equilibrista” em protesto contra a intervenção militar

Compartilhar:

A cantora Ana Canãs cantou, no último dia 21, em sua apresentação no Rock In Rio, “O bêbado e o equilibrista”, um hino contra a ditadura militar.

Campanha Financeira 3

A cantora destacou antes da apresentação “Nunca antes na história desse país o processo de democracia foi tão ameaçado como agora. Um general pediu intervenção militar. Infelizmente essa música é muito atual”. A artista num canto com uma plateia silenciosa,  e imagens retratando a ditadura militar no telão do palco, mostrando claramente uma referência para o recente fato ocorrido.

Num momento onde um golpe militar ameaça o país, se enfatiza o vídeo espalhado na última semana onde o general dizia que a única solução para a crise política que o país passa, se daria pela intervenção militar.

Numa emocionante performance Ana cantou a música de autoria de João Bosco e Aldir Blanc, e eternizada na voz da ilustre Elis Regina. Música da qual se fez presente durante o regime fascista e que recebeu o apelido de “Hino da Anistia”. Um momento no qual a censura era imposta, onde muitos artistas foram exilados e ou tiveram seus trabalhos censurados, a medida viria impor a mudança de letras e etc.  Ou seja tirando todo o aspecto de denúncia que essas letras viriam a ter, qualquer ideia que consideravam subversiva ao regime era vetada e seus autores perseguidos.

A música é cheia de referências do período militar. No trecho, “Choram Marias e Clarisses”, os autores se referem às viúvas dos presos políticos, representadas na letra pela Maria, mulher de Manuel Fiel Filho, e pela Clarisse, esposa de Vladimir Herzog: duas vítimas das torturas nos porões do DOI-CODI. Em outro trecho, “Brasil que sonha… com a volta do irmão do Henfil”, o irmão era o sociólogo Herbert de Souza, Betinho, que estava exilado.

 

O protesto é mais que necessário para alertar a todos do perigo exposto na declaração do general que quer “resolver a crise” no Brasil por meio de mais repressão, prisão, tortura e mortes.

ANA CAÑAS FAZ O SHOW MAIS POLITIZADO DO ROCK IN RIOAna Cañas canta o Bêbado e a Equilibrista em protesto contra General Mourão que, numa fala fascista, prega a volta da ditadura militar no Brasil.

Publicado por Lindbergh Farias em Quinta-feira, 21 de setembro de 2017

O Bêbado e o Equilibrista

Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto me lembrou Carlitos
A lua tal qual a dona do bordel

Pedia a cada estrela fria um brilho de a…lu…guel
E nuvens lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas, que sufoco louco
O bêbado com chapéu coco fazia irreverências mil
Prá noite do Bra…sil, meu Brasil
Que sonha com a volta do irmão do Henfil
Com tanta gente que partiu num rabo de foguete

Chora a nossa pátria mãe gentil
Choram marias e clarisses no solo do Brasil
Mas sei que uma dor assim pungente não há de ser inutilmente
A espe…rança dança na corda bamba de sombrinha
E em cada passo dessa linha pode se ma…chu…car
Azar, a esperança equilibrista
Sabe que o show de todo artista
tem que continuar

artigo Anterior

Policial que assassinou sem-terra é condenado

Próximo artigo

Irã testa novo míssil e recebe ameaças dos EUA

Leia mais

Deixe uma resposta