MBL inimigo da arte e da cultura

Compartilhar:

O Santander Cultural cancelou uma exposição de arte em Porto Alegre em virtude dos pedidos dos fascistas do MBL. Isso abre um precedente grave contra a liberdade de expressão no Brasil.

Campanha Financeira 3

Os moleques do MBL ficaram malucos. O mote da exposição era o cotidiano antigo do interior, mas o banco estrangeiro aceitou a denúncia de que era uma exposição pornográfica.

Para atacar os pintores, os fascistas comparam homossexualismo da arte, que já é retratada pela humanidade desde os tempos mais remotos, à zoofilia. Zoofilia é o que os garotinhos do MBL fazem com políticos como João Doria entre quatro paredes, em troca de dinheiro.

O golpe encorajou esses animais da direita, que é inimiga da cultura, censora e antiquada. Não existe censura “do bem”. Todo conhecimento e toda manifestação artística é propriedade cultural da humanidade, seja ela boa ou ruim. Defender qualquer tipo de censura é defender o ataque da ignorância contra o saber, ou seja, do retrocesso contra o progresso da humanidade.

Assim como os fascistas de hoje, em 1937 os nazistas baniram toda a arte moderna, com base de que ela não se encaixava nos padrões de “pureza alemães” e tinha “natureza comunista”. Assim, o governo tornou uma enorme parcela da arte da época proibida de ensino, de exibição, de venda e de produção. Agora é foi a vez dos fanáticos brasileiros, que chamaram a exposição de comunista.

Como se sabe, o MBL é um grupo de vagabundos provocadores profissionais financiados pelos donos do golpe de Estado no Brasil. O fascismo precisa ser derrotado pelos trabalhadores e suas organizações, a partir de um embate político, ideológico e violento.

artigo Anterior

Descaso do governo do DF deixa a população sem água

Próximo artigo

Frase – Análise Política da Semana

Leia mais

Deixe uma resposta