Grampo de Joesley envolve ministros do STF

Compartilhar:

Que todas as conversas, atualmente, estão sendo grampeadas, disso ninguém tem dúvida. Especialmente as conversas de pessoas ligadas ao regime político. O que causou certa estranheza é que determinada gravação de Joesley Batista, empresário da JBS, cita pessoas do Ministério Público Federal e do próprio Supremo como também envolvidos em negociatas.

Rascunho automático 67

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, considerou gravíssimas as gravações dos áudios, não pelo método, mas pelo teor, que demonstraria a prática de crimes por membros do MPF e do STF.

Por conta disso, Janot pretende até mesmo anular essas delações, ou parte delas, para que fique somente os trechos que subsidiem uma nova denúncia contra Michel Temer a ser apresentada junto ao Supremo. É uma tentativa de corrigir a rota do ataque.

Alguns dizem que a citação ao STF e à PGR (Procuradoria Geral da República) nas delações não passam de bravatas, ou citações vagas, que não teriam importância alguma, mas, na verdade, ninguém sabe o que foi dito. Ao que parece, houve um engano na orientação da delação, o que acabou resvalando em outros políticos, procuradores e ministros.

O problema está em quem os donos do golpe querem ou não derrubar. Está claro que querem a cabeça de Michel Temer, que está sobrevivendo na presidência, atacando todos os dias algum direito do povo.

Acreditar que a corrupção não está dentro do Poder Judiciário, dentro do próprio STF e da Procuradoria Geral golpista, seria de uma inocência completa. Pelo menos por enquanto querem o Supremo e a PGR agindo a favor do golpe, por isso não denunciá-los é de extrema importância, até que cumpram as respectivas missões.

artigo Anterior

Avanço do Golpe de Estado: para os golpistas o PT é uma organização criminosa

Próximo artigo

Ataque e repressão aos trabalhadores aumentam no Seara

Leia mais

Deixe uma resposta