Em entrevista, Dilma denuncia o avanço do imperialismo na Venezuela

Compartilhar:

Na última sexta-feira, 11, a presidenta eleita democraticamente pelo povo brasileiros, Dilma Rousseff, concedeu entrevista a rede de televisão, a BBC. Durante a entrevista, Dilma denunciou a política leva a cabo pelos golpistas contra o povo brasileiro após a sua derrubada do poder por meio do golpe. A presidenta destacou, por exemplo, o ataque às condições de vida do povo brasileiro, aos direitos da população, como, por exemplo, aos programas sociais (Bolsa Família, Minha Casa Minha vida).

Rascunho automático 67

No caso da Minha Casa, Minha vida, as unidades contratadas caíram, de acordo com os dados oficiais, de um recorde 513 mil em 2013 para pouco menos de 50 mil em 2016. Em relação ao Bolsa Família, somente no último mês de julho os golpistas realizaram o maior corte da história do programa, desde seu lançamento em 2003. Cerca de 543 mil famílias deixaram de receber o benefício. Em sua entrevista, Dilma destacou esse fato, “o Bolsa Família abrangia 13,9 milhões de famílias. Hoje, numa situação de crise, são 12,7.”

Dilma também denunciou a perseguição feita pelos golpistas contra o ex-presidente Lula, os dois pesos e as duas medidas da justiça brasileira quando questionada sobre o por quê do PT querer se opor a condenação feita pelo judiciário. “A diferença é que a acusação do Temer tem vídeo, que mostra a mala. Do que acusam o Lula? De um apartamento que não está no nome dele.” Também afirmou que a operação contra Lula é parte integrante do plano dos golpistas. “O golpe tem um primeiro capítulo que é meu impeachment. Mas tem um segundo, que é impedir que o presidente Lula seja candidato em 2018.”

Questionada sobre o apoio da presidenta do Partido dos Trabalhadores, Gleise Hoffman, e do próprio PT ao governo venezuelano de Nicolás Maduro. Dilma se posicionou ao lado do governo chavista, denunciou, por exemplo, o ataque da imprensa imperialista contra o governo Maduro, “eu acho um absurdo o tratamento da imprensa internacional à Venezuela.”

Comparou corretamente a política do imperialismo em relação à Venezuela, com a política imperialista adotada no Oriente Médio, no Afeganistão e no Iraque. “O criminoso era o Saddam Hussein. Mataram-no da forma mais bestial possível. Quando fizeram isso destamparam a caixa de Pandora e saíram todos os monstros possível”, disse.

Após as suas declarações, o governo golpista brasileiro soltou uma nota atacando a entrevista de Dilma, caracterizando as declarações da ex-presidente como sendo “delirantes”. Na nota, os golpistas trazem a tona a velha ladainha direitista contra Dilma e o PT, de que durante o governo petista o Brasil se aprofundou no “maior escândalo de corrupção de sua história”, ou seja a direita deu um golpe para consertar a crise “monumental” provocada pelo PT.

Se para os golpistas acabar com todos os direitos da população como os direitos trabalhistas, a aposentadoria, os programas sociais significa arrumar alguma coisa, então é preciso deixar claro quem está sendo beneficiado. Na realidade, como um ano de golpe já demonstrou na prática, o que a direita quer mesmo é levar o país a uma situação de pobreza e miséria sem precedentes. Tudo pra salvar um punhado de banqueiros e capitalistas.

artigo Anterior

94% dos partidos não representam os trabalhadores brasileiros

Próximo artigo

Não ao golpe e à intervenção imperialista na Venezuela!

Leia mais

Deixe uma resposta