Direção golpista dos Correios quer empurrar “negociação” diretamente para o TST

Compartilhar:

A direção golpista dos Correios ao receber a pauta de reivindicação da categoria, através dos sindicalistas da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios) apresentou um calendário de negociações que se iniciaria no último dia 8 (terça-feira).

Campanha Financeira 3

Alegando compromissos de última hora do presidente golpista dos Correios, Guilherme Campos, a direção dos Correios cancelou o inicio das negociações e sem estabelecer um novo calendário, afirmou que noticiará em breve os representantes dos trabalhadores quando as negociações começaram.

No entanto, é bom aqui esclarecer para os leitores que não conhecem a categoria dos Correios, que a data base dessa categoria é de agosto, ou seja, nesse momento os trabalhadores dos Correios já estão sem contrato coletivo de trabalho, pois o anterior se expirou no dia 31 de julho.

Também é importante dizer que a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios) estabeleceu em seu 34° Conrep (Conselho de Representantes da Fentect) um calendário de lutas que define o fim das negociações para o dia 15 de setembro, com indicação de greve para 19 de setembro.

Considerando que sequer se iniciou as negociações, e conforme a direção da Federação estipulou estamos a um mês do fim das negociações, tudo indica que não haverá negociações, e mais uma vez o acordo coletivo de trabalho da categoria será encaminhado para o golpista TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Em época de golpe, e após a aprovação da famigerada “reforma” trabalhista dos golpistas, as negociações irem para as mãos dos juízes biônicos do TST é tudo que Guilherme Campos quer.

A direção da ECT já anunciou que vai rebaixar os direitos dos trabalhadores ao patamar da “nova” CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) no que for superior a esse, e negociar aqueles que são do patamar da CLT, para que eles fiquem inferiores a esses.

Também está na mira dos golpistas o plano de saúde da categoria, do qual o TST já deu um parecer favorável da direção da ECT começar a cobrar mensalidades dos funcionários, transformando o direito da categoria em um plano privado de saúde, aos moldes dos planos comerciais vendidos por ai.

Diante do que já estão desenhados para acontecer na campanha salarial dos Correios, os trabalhadores terão que se preparar para enfrentar os golpistas em um dos seus terrenos preferenciais, o do Judiciário golpista.

Por isso, a aprovação da greve da categoria que tende a acontecer necessariamente no dia 19 de setembro, tem que vir com a orientação de luta contra o TST, inclusive com ocupações dos prédios dos Correios e do próprio Tribunal, para derrotar a direção golpista e realizar uma luta efetiva pela conquista das reivindicações da categoria.

artigo Anterior

Imperialismo manda, esquerda pequeno-burguesa obedece

Próximo artigo

Força Aérea norte-americana diz estar pronta para lutar esta noite

Leia mais

Deixe uma resposta