Eles não prenderão Lula, se nós não deixarmos

Compartilhar:

O ex-presidente Lula foi condenado no processo do chamado “Triplex do Guarujá”, o mais frágil e sem provas de todas as ações penais contra ele, isso aponta em uma clara direção os golpistas pretendem condená-lo e prendê-lo com ou sem provas.

Campanha Financeira 3

Moro já chamou Lula a depor e um segundo processo, o depoimento acontecerá em Curitiba. Setores da esquerda levantam contra a ideia de prisão de Lula a defesa de sua candidatura e a sua popularidade.

Muitos ainda dizem que é impossível que em segunda instância as sentenças sejam ratificadas. Estão errados, o fato de Lula estar se lançando candidato não impedirá os golpistas, e nem sua popularidade irá impedir sua prisão. O golpe foi dado contra a vontade da população e para a avançá-lo é preciso prender Lula, portanto, a opinião formal dos brasileiros carrega pouco peso.

O que não carrega pouco peso, muito pelo contrário, é fundamental, é a mobilização das massas trabalhadoras, se essa opinião de repúdio se transforma em ação.

Os golpistas contam com a inatividade do campo antigolpista e democrático, pois não tem condições de vencer um embate pesado contra os trabalhadores organizados.

Durante a campanha pela prisão de Lula, Moro chamou-o a um depoimento em Curitiba, o Partido da Causa Operária, a Central Única dos Trabalhadores e o Partido dos Trabalhadores responderam com uma manifestação de 20 mil pessoas no centro da capital paranaense.

A resposta de força, que ao ocupar Curitiba disse “Não vai prender”, inviabilizou as pretensões dos golpistas de prender o petista.

O ato de Curitiba mostrou o caminho a ser seguido, o de lutar contra os golpistas nas ruas, e ele deu resultados, é o único caminho que deu algum resultado até agora, não houve negociação parlamentar, votação ou eleição que impôs limites aos golpistas, mas os atos e as greves, principalmente a greve geral sim.

Lula será preso se deixarmos, ele não será preso, se o povo for as ruas para impedir sua condenação e sua prisão, o 10 de maio, o primeiro ato contra prisão de Lula em Curitiba, está sendo sucedido, pelo 13 de setembro, um novo ato contra sua prisão, novamente na casa da Lava Jato, é este o caminho a ser seguido.

artigo Anterior

Frases

Próximo artigo

França: popularidade de Macron cai em razão de sua política neoliberal

Leia mais

Deixe uma resposta