Ditadura: EBC censurada

Compartilhar:

Segundo Gésio Passos, coordenador do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (DF), a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) está sitiada.  Desde que o presidente golpista Michel Temer assumiu a presidência inúmeras mudanças foram feitas na instituição. Na última quarta-feira (14) o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) publicou nota em que denuncia práticas de censura.

As formas de censura adotadas são várias: demissões, inviabilização da cobertura de atos políticos contra o governo, proibição do uso de temos como “Fora Temer” etc. Jornalistas que há muito tempo trabalham especificamente com temas como educação e política foram escalados para cumprir outros temas.

Isso precisa ser denunciado como censura a esquerda dentro do jornalismo. Além disso, os ataques a EBC devem ser vistos como mais uma forma de favorecer o monopólio da imprensa direitista alinhada com os interesses do imperialismo e isso também precisa ser denunciado.

Rascunho automático 67

A seguir, reproduzimos nota do Sindicato:

Nota em repúdio a mudanças na EBC, que caracterizam práticas de censura

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) vem a público repudiar mudanças em curso na Empresa Brasil de Comunicação, que visam tolher o livre exercício da profissão, bem como aprofundar as práticas de censura.  

Nas últimas semanas, jornalistas da EBC foram realocados de áreas de cobertura sem consulta prévia, critérios transparentes e após episódios de reclamações de integrantes do governo com coberturas realizadas em áreas como política e educação. Chama a atenção do sindicato a perseguição a repórteres setoristas há mais de quatro anos em uma mesma área, com reconhecimento nacional, que estão sendo deslocados de forma arbitrária, sem treinamento, para outras áreas de cobertura que não guardam relação com suas trajetórias profissionais e formativas. 

O esvaziamento da cobertura da agenda social, que já vinha sendo realizada com alterações na pauta e em cargos de gestão, revela a disposição da EBC e do governo para calar a diversidade de vozes da sociedade brasileira por meio do assédio moral e perseguição. 

O SJPDF não será conivente com essas práticas e irá tomar as medidas judiciais cabíveis para garantir o livre e digno exercício profissional dos jornalistas que trabalham na EBC.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF Coletivo de Mulheres Jornalistas do SJPDF

artigo Anterior

Sanções ao Catar podem ameaçar Copa de 2022

Próximo artigo

Rollemberg tenta impedir programa de apoio a maternidade

Leia mais

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: