Almirante dos EUA revela conspiração para derrubar Maduro

Compartilhar:

No Domingo (14), o jornalista venezuelano Díaz Rangel revelou um plano dos EUA para derrubar o governo da Venezuela em aliança com a direita golpista no país. O almirante Kurt Tidd, comandante do Comando Sul, apresenta informes regularmente para o Senado norte-americano. Em um desses informes, declarou que os EUA vêm acertando uma “política comum” com os “políticos da MUD [Mesa de Unidade Democrática]”. Ou seja, os EUA têm uma aliança com a direita venezuelana e atuam em uma frente golpista para derrubar o presidente Nicolás Maduro.

Campanha Financeira 3

Essa “política comum”, segundo Tidd, inclui o seguinte: “um cenário abrupto que pode combinar ações de rua e o emprego medido de violência armada sob um enfoque de cerco e asfixia”. E continua: “Também entramos em um acordo com os sócios mais próximos da MUD, para utilizar a Assembleia Nacional para obstruir a governança, convocar eventos e mobilizações, interpelar governantes, negar créditos e suspender leis.”

Esse é exatamente o plano que a direita golpista colocou em movimento. Agora revela-se que esse plano foi integralmente desenhado pelo imperialismo para derrubar o governo. Toda a movimentação golpista para derrubar Maduro é uma frente entre o imperialismo e a direita golpista venezuelana, uma direita teleguiada. Também participa dessa frente a esquerda pequeno-burguesa que passou a apoiar o golpe na Venezuela. Como o PSTU no Brasil, e outros grupos menores, ou seja, a esquerda sem programa e sem base social que foi arrastada pela campanha do imperialismo.

Nesta quarta-feira (17), os EUA colocaram a Venezuela na pauta de uma discussão a portas fechadas no Conselho de Segurança da ONU. Esse fato escancara o papel da ONU como instrumento do imperialismo para pressionar e sabotar governos em países atrasados. A crise venezuelana é produto de uma sabotagem ativa da oposição com apoio do imperialismo, que precisa derrubar o governo Maduro para controlar o país. A Venezuela tem a maior reserva de petróleo de mundo e atualmente representa uma resistência ao imperialismo na região, varrida por golpes de estado patrocinados pelo imperialismo em toda parte.

artigo Anterior

Super promotor vai investigar governo Trump

Próximo artigo

Assista à Análise Política da Semana às 11h30, todos os sábados

Leia mais

Deixe uma resposta