5 trabalhos interessantes de Kiko Dinucci, o próximo convidado do Uzwela

Compartilhar:

Nesta quinta-feira, 15, o próximo entrevistado do programa da Causa Operária TV, “Uzwela – conversa sobre cultura”, será o músico, compositor, cineasta e desenhista Kiko Dinucci.

Campanha Financeira 3

No dia de ontem, fizemos um breve resumo do que Kiko já fez, colocando também alguns de seus trabalhos, inclusive, o ‘Cortes Curtos’, seu novo disco solo, que também será assunto neste Uzwela.

Hoje, iremos conhecer um pouco do trabalho de Kiko Dinucci, abordando todos os ramos aos quais o artista paulistano atreve-se a desbravar:

1. Passo Torto

“Passo Torto e Ná Ozzetti é cinema. É música e palavra em curto-circuito, desencadeando a imaginação do ouvinte: imagem e ação, imagem em movimento… é cinema, na sua sugestão de ambientes e espaços, planos e enquadramentos, de climas e texturas quase palpáveis… aquele cinema do cinema novo, da nouvelle vague e do cinema marginal… por vezes aquele ar de um radical desenho animado para adultos ou de uma antiga e agridoce comédia italiana… é também um cinema de guerrilha, feito com enorme economia de recursos e abundância de ideias… música pode ser tudo isto.”

Este é um trecho do release do último disco da banda, escrito por Thiago França, que fizeram ao lado de Ná Ozzetti.

A banda, formada em 2011 por Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Romulo Fróes e Marcelo Cabral, é um dos mais conhecidos projetos (de tantos) do entrevistado pelo Uzwela.

A descrição feita no release de Thiago França é, na verdade, um release da banda, que busca amplas influências para suas composições. Deixamos aqui para o espectador conhecer os três discos lançados pelo grupo musical. Vale a pena conferir:

 

2. Padê

Despacho; cerimônia expiatória do candomblé e de religiões de origem ou influência afro-brasileira, na qual se oferecem a Exu, antes do início das cerimônias públicas ou privadas, na intenção de que não perturbe os trabalhos com seu lado malévolo e que agencie a boa vontade dos orixás que serão invocados no culto; mas também é o álbum de estréia da dupla Kiko Dinucci e Juçara Marçal, que escancara a influência africana na música brasileira.

Kiko Dinucci e Juçara Marçal, com Thiago França, também formam a partir de 2008, a banda Metá Metá, “três em um” em iorubá. A banda é colocada como uma das mais influentes bandas do atual cenário brasileiro.

3. Breve em Nenhum Cinema


Kiko, além de grande músico, é cineasta. Este é o último filme gravado por ele.

No filme, que foi gravado sem roteiro, os personagens vão procurando um cinema por todo o centro da cidade de São Paulo, que encontra-se devastado pela especulação imobiliária, mas a única coisa que os personagens encontram ao longo da busca são cinemas e igrejas evangélicas.

Kiko dirigiu outros filmes, como “Dança das Cabaças – Exu no Brasil”, que investiga a imagem de Exu no imaginário popular.

4. A Mulher do Fim do Mundo

O premiado disco da cantora Elza Soares, lançado  em 2015, também contou com participação de Kiko Dinucci e vários artistas da cena paulista contemporânea.

O disco que faz um samba muito pouco ortodoxo, rotulado por seus produtores como “samba-punk”, conta com a composição de Dinucci “Luz Vermelha”, além de seus arranjos distorcidos na guitarra completam a dinâmica das músicas.

5. Ainda por cima, desenhista

Arte do álbum “MM3” de Metá Metá, feito por Kiko Dinucci

Sempre se mantendo ativo artisticamente, Kiko Dinucci também é um talentoso desenhista.

Desenhou “Padê”, álbum acima citado, vários cartazes para shows, além de outras capas de álbuns, de seus projetos e outros.

Vale a pena conhecer os desenhos do artista paulistano, é só entrar no site de Kiko Dinucci e aproveitar para baixar outros trabalhos musicais e cinematográficos, disponíveis todos gratuitamente.

 

artigo Anterior

Frases inolvidáveis

Próximo artigo

“Bate na cara, espanca até matar”, o hino da Polícia Militar

Leia mais

Deixe uma resposta