Mobilização em Goiânia em solidariedade a estudante e em repúdio à polícia militar

Compartilhar:

Dezenas de pessoas se mobilizaram, nessa quarta-feira (03), em atos de solidariedade ao estudante Mateus Ferreira da Silva, covardemente agredido pela Polícia Militar, ao fim da manifestação do último dia 28, em Goiânia. Mateus foi atingido por um cassetete enquanto corria da repressão da PM de Marconi Perillo (PSDB).

Rascunho automático 67

As filmagens mostram o ímpeto com que o policial partiu para a agressão, quebrando o cassetete no rosto do estudante, que foi para o hospital em estado grave. No dia 3 de maio, o DCE da Universidade Federal de Goiás (UFG) conclamou estudantes e professores a se mobilizarem num ato em solidariedade a Mateus e em repúdio à violência (e existência) da Polícia Militar. Diversas faculdades suspenderam suas atividades em apoio à mobilização dos estudantes. Alunos da Faculdade de Educação se reuniram logo de manhã, às 8 horas, na Praça Universitária, para denunciar a natureza truculenta da PM, que ocasionou no ato de extrema violência contra Mateus.

Na parte da tarde, por volta das 15 horas, dezenas de pessoas da comunidade acadêmica se somaram em frente ao Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO), hospital em que Mateus está internado. De lá, caminharam até o prédio do MP-GO, a fim de protocolar um documento solicitando às autoridades celeridade e isenção nas investigações de denúncias de violência policial. Foi marcado, ainda, para as 20 horas, uma nova concentração em torno do HUGO para prestar solidariedade ao estudante Mateus.

artigo Anterior

Liberdade para os 221 mil presos sem condenação

Próximo artigo

“Vendo-se”

Leia mais

Deixe uma resposta