Ministro privatizador do governo golpista alega que nao quer privatizar a ECT

Compartilhar:

Nesta quarta (26-04) o golpista Gilberto Kassab, ministro das Comunicações, Ciência e Tecnologia, participou de um audiência na Câmara dos Deputados, na Comissão de Ciência e Tecnologia, para falar de banda larga e questões envolvendo o cronograma da implementação da TV digital no país.

Rascunho automático 67

No entanto, no meio da audiência, devido o questionamento do deputado federal do PT-MT, Adelmo Carneiro Leão, o ministro golpista também respondeu questões envolvendo a privatização dos Correios.

Questionado pelo deputado, se o governo tinha uma política de ajuda financeira para ECT se recuperar da suposta crise financeira que os golpistas alegam que a empresa está passando, Kassab foi enfático: o governo golpista em nada ajudará com recursos financeiros à ECT, reafirmando a mentira de que ele, Gilberto Kassab é contra a privatização da empresa, mas que se a empresa não se recuperar, a privatização é inevitável.

Todos sabem que não passa de cinismo, pois Kassab é o maior defensor de entregar o patrimônio público à iniciativa privada, aos capitalistas do mercado postal, quando prefeito em São Paulo Kassab privatizou até os setores da saúde pública que atendia os doentes mentais.

Estava na audiência o seu fiel escudeiro, o golpista Guilherme Campos, atual presidente golpista dos Correios, que pediu a palavra para dizer que o prejuízo da ECT tem que ser pago pelos trabalhadores dos Correios, que segundo os golpistas são responsáveis pelos prejuízos da empresa, como o suposto alto custo da folha de pagamento.

Mentirosos profissionais, os golpistas que não revelam que a ECT tem o menor salário de todas as estatais, já tem até preço, estipulado pelos golpistas, de R$ 3 a 5 bilhões, um verdadeiro estelionato, um roubo do patrimônio nacional, de uma empresa que é a maior empresa dos correios da América Latina, com faturamento anual acima de 20 bilhões de reais.

Diante disso, os trabalhadores dos Correios e a população brasileira deve se opor violentamente  a mais esse crime dos golpistas contra nação brasileira, exigindo a derrubada do golpe com a destituição de todas as medidas golpistas realizada neste um ano de golpe de estado no país.

A greve em curso dos correios deve ser tomada como um ponto de partida da necessária mobilização contra a privatização, contra os ataques da direção golpista dos correios e contra o próprio golpe de estado, uma vez que sem derrotar o golpe não é possível deter a ofensiva dos golpistas contra a ECT e todos os trabalhadores.

 

artigo Anterior

Ao atacar a greve, golpistas revelam a força da mobilização

Próximo artigo

Doria quer cortar ponto dos trabalhadores em greve

Leia mais

Deixe uma resposta