Panteras Negras no Sesc Pinheiros

Compartilhar:

Desde o dia 8 de março, quarta-feira, está em exibição no Sesc Pinheiros a exposição “Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras”, que traz, entre outras coisas, o jornal The Black Panther, editado e publicado pela organização.

Rascunho automático 67

A exposição conta, ainda, com uma série de fotos de Stephen Shames, que acompanhou a organização de perto, além de fotolivros, cartas, discos e outros documentos da produção de Emory Douglas, responsável pela propaganda política e cultural do grupo, que, inclusive, resultou na famosa frase “todo o poder ao povo”.

Grande parte da exposição é baseada no trabalho de Douglas, que desenvolveu uma série de artes demonstrando a luta do povo negro e do partido.

O Partido dos Panteras Negras foi fundado por Huey Percy Newton e Bobby Seale, em 1966, na Califórnia, e tinha por objetivo promover a luta do povo negro norte-americano contra o racismo.

Um dos principais objetivos da organização era defender os bairros negros contra os ataques das organizações racistas e fascistas, como a Ku Klux Klan, e defender o povo da brutalidade policial.

Em seu programa, um dos pontos defende: “Acreditamos que todos os negros devam ser libertados das várias prisões e cadeias, porque não tiveram julgamento justo e imparcial”.
Devido ao seu desenvolvimento revolucionário, o Partido dos Panteras Negras foi considerado inimigo do estado norte-americano, sendo perseguido pelas forças de segurança dos EUA, especialmente o FBI. A perseguição quase acabou totalmente com a organização, resultando em 28 membros assassinados, apenas em um ano, e centenas de outros militantes que foram presos, como o jornalista Mumia Abu-Jamal, que até os dias de hoje está preso como resultado de um processo fraudulento e racista.

A exposição “Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras” no Sesc Pinheiros, em São Paulo, fica em cartaz até o dia 4 de junho deste ano.

artigo Anterior

Acordo com o PSDB: carreiristas do PT entrevam a luta contra o golpe

Próximo artigo

15 de março: um panorama da luta contra o golpe

Leia mais

Deixe uma resposta