Aloysio Nunes, mais um delatado do PSDB

Compartilhar:

O atual ministro das Relações Exteriores do governo golpista, o tucano Aloysio Nunes, foi delatado na recente “delação da Odebrecht”. Segundo Carlos Armando Paschoal, o CAP, ex-diretor da empreiteira, Nunes recebeu via caixa 2 cerca de RS$ 500 mil da empreiteira, para campanha eleitoral de 2010, na qual o tucano foi eleito Senador por São Paulo.

Rascunho automático 67

Segundo a delação, o dinheiro foi pedido pelo próprio Aloysio e repassado em duas ou três parcela em hotéis de São Paulo. CAP relatou que o dinheiro foi repassado a uma pessoa de confiança do atual ministro golpistas, com quem foi combinado senhas e endereços para o repasse. A campanha de Nunes em 2010 declarou mais de RS$ 9 milhões de doações, entre as empresas que constam na prestação de contas não está a Odebrecht.

O tucano Nunes substituiu o também tucano José Serra na pasta das Relações Exteriores depois deste declinar. Nunes segue a mesma cartilha do anterior Ministro golpista, ou seja, a subserviência completa ao imperialismo. O fato de estarem aparecendo agora com maior constância denúncias contra políticos da cúpula do PSDB é indicativo de que a luta política dentro do bloco golpista acirrou-se. Nunes é um típico capacho do imperialismo, um político corrupto, sínico e sempre disposto a agradar seus donos, e nesse sentido um homem de confiança do imperialismo, assim como são Serra e Aécio Neves, presidente do PSDB que também aparece em delações.  A ameaça de ataque contra eles, mesmo que tímida e sem grandes consequências, expressa a tentativa de um setor golpista de defender-se dos ataques do imperialismo, sem naturalmente, entrar em uma luta aberta contra o imperialismo, coisa que a burguesia nacional, por seu caráter servil, é incapaz de fazer.

Logicamente, que o PSDB não se preocupa demasiadamente com este tipo de acusação, uma vez que o Judiciário brasileiro tem uma orientação profundamente pró-imperialista e, por conseguinte, atua na defesa do PSDB, o partido que representa os interesses do imperialismo no País. Por exemplo, diante da notícia de que Aécio Neves teria recebido grandes quantias em caixa 2, o ministro do STF, Gilmar Mendes prontamente tratou de esclarecer que “há caixa 2 e caixa 2”, que dizer há caixa 2 que não é crime, como os do PSDB e os que são crime, o restante, naturalmente.

artigo Anterior

Não à reforma da previdência, não à terceirização, fora todos os golpistas!

Próximo artigo

Outras tragédias virão

Leia mais

Deixe uma resposta