O carater fascista do governo Rolemberg

Compartilhar:

A brutal repressão policial às manifestações dos trabalhadores em Brasília é a demosntração de que, com o golpe de Estado, a burguesia liberou os seus cães de guerra contra a classe operária.

Rascunho automático 67

Além de condenar os servidores públicos do DF e toda população, através de sua política neoliberal, com cortes, ajustes, aumento das tarifas públicas, privatizações e calotes que visa tirar recursos de quem não tem para continuar sustentando os parasitas capitalistas que vivem à custa do Estado, o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), vem utilizando a política da intervenção brutal por meio da força policial contra a população, trabalhadores e suas organizações.

As últimas manifestações dos trabalhadores e dos estudantes na capital federal contra o aumento das passagens e contra a PEC do Fim do Mundo (PEC 55) foram tratadas com o requinte de crueldade pelo aparato policial do governo do GDF, com a estreita colaboração com o governo golpista de Michel Temer, utilizando táticas de guerra com extrema violência e truculentas ações de repressão.

Em todas as manifestações os cães de gerra do governo golpista de Rollemberg utilizam gás de pimenta, cassetetes, a cavalaria que marcha violentamente atropelando todos que estão a sua frente; são várias as prisões e manifestantes hospitalizados devido aos ferimentos. A última do governo do GDF foi em relação à paralisação dos motoristas e cobradores, que prestam serviços à Cootarde, que exigem o pagamento imediato dos salários atrasados, tíquete alimentação, 13o salário, férias vencidas e cestas básicas dos mecânicos e despachantes; problemas enfrentados pelos trabalhadores que são de responsabilidade do governo golpista de Rollemberg.

Após uma onda de pancadaria e brutalidade desfechada contra os trabalhadores rodoviários dentro de um micro-ônibus da empresa Cootarde por um bate-pau da empresa com uma barra de ferro, ao invés de deterem o “pitbull” da empresa, detiveram quatro trabalhadores, que lutam legitimamente pelos seus direitos, que responderão por danos, lesão corporal e atentado contra a segurança do transporte. Como parte da operação repressora do regime golpista instalado noDF e em todo o País, os trabalhadores tiveram que comparecer a audiência judicial, no último dia 2, na qual foi decretada a prisão preventiva dos rodoviários que agiram de legítima defesa deles e de outros companheiros.

Trata-se claramente de uma armação, na qual o Judiciário sacramenta a ação repressiva e ilegal do Estado e de capangas privados.

O PCO vem se destacando como uma das organizações que sistematicamente vem denunciando o golpe da direita que tem uma das suas características o ataque aos trabalhadores, as suas manifestações e suas organizações, que se multiplicam em todo o País. O governo Rolemberg, atua como centro de organização das ações fascistóides contra os trabalhadores, no Distrito Federal.

Para se opor à essa ofensiva e para defender os interesses da classe trabalhadora e do conjunto dos explorados DF e em todo o País, é necessário lutar contra o regime golpista de conjunto.

Para dar força e coesão que o movimento necessita para lutar contra os golpistas é preciso chamar todas as organizações operárias, populares, democráticas a constituírem Comitês de Luta Contra o Golpe em todas a cidades do país, tais como foram criados em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, etc., que devem ser verdadeiras ferramentas na luta contra o regime golpista e a ditadura.

Nesses comitês e em todas as organizações de luta dos explorados, da cidade e do campo, é preciso debater a constituição de Comitês de Auto-Defesa contra a repressão do regime golpista.

artigo Anterior

O golpe, a terceirização e o ataque aos servidores públicos

Próximo artigo

“República de Curitiba”, por Jota Camelo

Leia mais

Deixe uma resposta