Presidente golpista da ECT usa imprensa para aterrorizar trabalhadores dos Correios

Compartilhar:

No primeiro dia de 2017, o presidente da ECT- Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – do governo golpista de Michel Temer, Guilherme Campos (do PSD – Partido Social Democrata), deu declarações ao jornal Correio Braziliense, de que a ECT está dando prejuízo e que sua “solução” é demitir milhares de trabalhadores e cortar benefícios e direitos da categoria.

Rascunho automático 67

A proposta dos golpistas é demitir 15 mil funcionários por meio de um PDI – Pedido de Demissão Incentivada, deixando claro que quem não aderir voluntariamente ao PDI será, fatalmente, demitido pela ‘crise financeira’ pela qual passa a ECT.

Não bastasse o fantasma das demissões, o plano dos golpistas ainda inclui redução da jornada de trabalho com corte de salários, fim do plano de saúde dos trabalhadores dos Correios (custeado pela ECT) e fechamento de unidades e agências dos Correios.

Querem que os trabalhadores paguem o pato

Um cenário de calamidade pública, estado de sítio, de guerra! Medidas austeras impostas por esses ‘renomados administradores’ que estariam preocupados com saúde financeira da Empresa, alegando que há dois anos essa “sofrida” Empresa Estatal vem fechando suas contas no vermelho, com rombos que chegam de 1 a 2 bilhões de reais. Fosse verdade, mais um motivo para que esses administradores sejam, eles sim, punidos pela má administração, com a sua exoneração, e não os trabalhadores, que deveriam controlar a empresa.

O jornal golpista, Correio Brazilense, para corroborar com o golpista Guilherme Campos, apadrinhado do ministro golpista Gilberto Kassab, apresenta os números dos Correios, alegando que a ECT tem muitos funcionários (114 mil) e que essa folha de pagamento consome 62% da receita da Empresa (7,5 bilhões de reais). Alega também que, no último ano, a ECT diminuiu seu fluxo de objetos postados, de 8,6 bilhões para 8,2 bilhões, ou seja, 400 milhões de objetos a menos. E que a produtividade do trabalhador ecetista caiu de 80 para 70 objetos por trabalhador.

Realmente, para quem não trabalha nos Correios, os números podem até soar impressionantes. Mas os  trabalhadores dos Correios esses frios números não convencem, ainda mais divulgados por pessoas cuja honestidade vem sendo questionada em diversas atitudes em suas carreiras políticas golpistas e quando o regime de exploração no interior da ECT não para de crescer, com maiores jornadas e exigências cada dia maiores sobre os ecetistas.

‘Pessoas honestas e jornal imparcial’…sei sei!  Ambos são porta vozes das autoridades públicas de Brasília, e enganam a população brasileira usuária dos Correios de que a melhor solução é não só demitir trabalhador como fechar a birosca. Impressionante é que essa empresa, de utilidade pública, paga R$ 1.100,00 de piso para o carteiro e R$ 43 mil reais a seu presidente!  A pergunta é: não dá lucro?

Mentira tem pernas curtas.

Segundo a reportagem golpista, 62% do faturamento dos Correios (7,5 bilhões de reais) são designados à folha de pagamento. Dessa forma, entende-se que o faturamento da ECT é de 12 bilhões de reais.  Vamos fazer uma conta simples: se há um fluxo de 8.2 bilhões de objetos postados por ano (informação divulgada pelo golpista), e supondo ainda que os Correios não possuíssem outros serviços (como malote, reembolso postal, banco postal etc.), esses objetos teriam que custar R$ 1,43 (um real e quarenta e três centavos) cada.

No entanto, o valor arrecadado não bate com os preços das tarifas cobradas nas agências dos Correios, onde a carta mais barata ultrapassa o valor de R$1,43 e serviço mais vendido (encomendas Sedex) estão longe desse valor, chegando a custar mais de R$ 100,00 reais. Isso só nos leva a crer que o dinheiro está saindo por outro ralo. Eles esbanjam e quem o trabalhador pague por esse absurdo.

Tudo isso se formos levar em consideração que os números apresentados pela direção golpista dos Correios são verdadeiros, já que os trabalhadores nunca puderam acompanhar passo a passo a contabilidade geral da Empresa.

Golpistas a serviço da destruição da ECT

Para começar a entender os interesses por trás da matéria mal-intencionada do jornal golpista, é importante situar o leitor em relação à situação dos Correios no cenário nacional de Golpe de Estado.

  1. A ECT vem sendo considerada, por mais de 30 anos, uma empresa de ponta, a maior da América Latina e a segunda maior empresa de correios do mundo, perdendo apenas para os Correios alemão.
  2. Enquanto várias empresas de correios públicos do mundo todo foram sendo vendidas, por pressão das grandes empresas do mercado postal, como DHL, FEDEX e outras gigantes privadas, a ECT se manteve pública e eficaz graças à luta de seus trabalhadores.
  3. Com o golpe de Estado colocado em prática pela direita nacional, em aliança com o imperialismo liderado pelos Estados Unidos, os Correios e demais estatais (como Petrobrás, Eletrobrás)  estão seriamente ameaçadas de desaparecer para deixar livre a exploração desses mercados para grandes empresas internacionais.
  4. O presidente golpista da ECT é presidente da Associação Comercial de Campinas há mais de 10 anos, pessoa que não tem interesse pelo público, pelo contrário, sempre foi a voz da iniciativa privada. Aliás, ele tem histórico de beneficiar sempre os mesmos parasitas empresários do setor privado, usando de seu ‘cargo’ na Associação Comercial para se promover politicamente.
  5. O governo golpista de Michel Temer anunciou, logo no primeiro dia de mandato, que iria vender no mínimo 49% dos Correios.
  6. Para efetuar a venda, o governo golpista precisa enxugar gastos da Empresa, demitir os mais velhos e aposentados, que possuem salários maiores, cortar gastos com benefícios, principalmente os feitos com o Plano de Saúde da categoria, uma conquista de mais de 30 anos. Dessa forma, torna a ECT bem atraente para os compradores, às custas dos trabalhadores.
  7. As demissões previstas seriam feitas com os tais planos de desligamento, que os privatizadores apelidaram de voluntários ou incentivados. No entanto, a direita nacional quer demissão compulsória, sem pagar nada ao trabalhador. Por isso, o jornal golpista, ao publicar a matéria, ajuda o presidente golpista da ECT a pressionar o governo para que as demissões sejam feitas sem pagamento algum ao trabalhador. E aí entra a análise das mudanças na CLT, que tanto já falamos e não nos cansaremos de falar.

Está tudo orquestrado. O golpe vai seguindo, mas nós trabalhadores não vamos abandonar essa luta!

A luta conjunta contra o golpe é a saída!

Os golpistas não querem apenas demitir. Os golpistas estão a serviço da pilhagem do patrimônio nacional pelos capitalistas internacionais.

Não são suficientes as lutas parciais e localizadas contra os ataques feitos pelo governo golpista.

É necessário unificar toda a classe trabalhadora das empresas estatais ameaçadas como das empresas privadas, contra as ações dos golpistas.

Eles precisam ser retirados do poder e isso só vai acontecer com a luta organizada, com a retirada dos golpistas do Poder Executivo, do controle das Estatais. Só assim será possível aos trabalhadores dos Correios impedir a demissão e destruição da ECT.

Para impulsionar esta luta, preciso superar a paralisia das direções sindicais (que nos Correios colaboram abertamente com a direção da ECT), construir comitês de base contra o golpe e pelaanulação do impeachment!

artigo Anterior

10 de janeiro de 1928 – A Expulsão de Leon Trotski da Rússia

Próximo artigo

Massacres, fugas: defensores da ordem criam o caos

Leia mais

Deixe uma resposta