Imperialismo derrotado grita “barbárie!”

Compartilhar:

Esta semana, o governo da Síria retomou o controle sobre Alepo. A maior vitória do presidente Bachar Al Assad na guerra civil, que já dura cinco anos. O jornal britânico Financial Times, um dos principais porta-vozes do imperialismo, classificou o fato, em editorial publicado no dia 14, nas seguintes palavras: “este é também um momento em que as ambições europeias e norte-americanas na Síria deveriam ser vistas como o que são: um caso a ser estudado de pensamento confuso”. O título do editorial é contundente: “Um cemitério no Oriente Médio para as ilusões ocidentais”. O jornal também diz que “a queda de Alepo sinaliza o colapso da influência dos EUA e da Europa”.

Rascunho automático 67

Uma avaliação que mostra o desastre para a política do imperialismo na Síria que foi o avanço de Assad sobre Alepo. Diante dessa derrota, o imperialismo está realizando a contra-ofensiva que é capaz de realizar nesse momento: uma guerra e propaganda contra o regime da Síria. O governo sírio tem denunciado que a imprensa imperialista está espalhando uma série de boatos sobre o que está acontecendo em Alepo. O canal de TV russo RT divulgou comemorações populares em Alepo nas áreas tomadas pelo governo. Na versão do imperialismo da história, Assad estaria massacrando toda a população local.

Depois de cinco anos de guerra na Síria, assim que Assad começou a vencer o imperialismo descobriu que a guerra é violenta e que os civis sofrem na guerra. É uma campanha cínica de potências que o tempo todo tinham o objetivo de derrubar Assad e que alimentaram o conflito durante todos esses anos. A barbárie é responsabilidade do imperialismo. O mesmo imperialismo que bombardeou a Líbia e destruiu o país, que não existe mais como um estado nacional unificado. O mesmo imperialismo que destruiu completamente o Iraque para controlar a região, em defesa dos interesses econômicos dos grandes monopólios imperialistas.

artigo Anterior

Indiciado 4 vezes: vale tudo contra Lula

Próximo artigo

EUA acusam Putin de interferir nas eleições

Leia mais

Deixe uma resposta