Comissão aprova e impeachment deve ter primeira votação no próximo dia 9

Compartilhar:

Com 20 senadores presentes a Comissão Especial do Senado Federal aprovou o relatório do golpista Antônio Anastasia (PSDB-MG), dando continuidade ao processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Foram 14 votos contra 5. Raimundo Lira (PMDB-PB), na condição de presidente registrou o voto sim (a favor do relatório), embora não tenha sido contabilizado, pois só vota em caso de empate.

O relatório com mais de 200 páginas reforça todas as mentiras e falsificações usadas para justificar o impedimento, ignora fatos e informações como a decisão do Tribunal de Contas que tira toda e qualquer responsabilidade de Dilma Rousseff nas chamadas pedaladas fiscais, descaracterizando a existência de crime de Responsabilidade Fiscal que justifique o impeachment, conforme exige a lei.

Na comissão 22 senadores falaram. Um dos principais discursos foi o do senador Cristovam Buarque, que até agora procurava se apresentar como indeciso e indicou que votará a favor da derrubada de Dilma. Em resposta a um senador petista que comparou os acontecimentos atuais com golpes do passado, como o de 1964, Cristovam disse que não há tanque nas ruas, nem militares ocupando o Congresso, o que tornaria falsa a acusação de golpe.

Cristovam tem sido muito criticado por seu posicionamento. Ele já foi reitor da Universidade de Brasília (UnB), do PT e até pouco tempo esteve no PDT, mas agora está filiado ao PPS, partido de direita. Recentemente ele disse que é crime denunciar o golpe internacionalmente e que vai votar apesar de estar perdendo amigos, eleitores e de estar sendo denunciado, acertadamente, como golpista.

impeachment, a utilização da Constituição, de leis, assim como as manipuladas manifestações de rua convocadas pelo monopólio da imprensa burguesa são apenas uma fachada, para dar o ar de legalidade a esse golpe de Estado.

Rascunho automático 67

O próximo passo do julgamento de Dilma é uma primeira votação pelo Plenário do Senado, o que deve ocorrer no dia 9 de agosto. A segunda e definitiva votação está prevista para os dias 25 e 26.

 

artigo Anterior

Eleições na Austrália mostraram crise do regime político

Próximo artigo

PSDB quer mais, e vai conseguir

Leia mais

Deixe uma resposta