A “injustiça” do ensino superior

Compartilhar:

O jornal golpista O Globo publicou no domingo, 24, um editorial em que reivindica o fim do ensino superior público gratuito. De acordo com o porta-voz da direita golpista, a única saída para a crise financeira pela qual passam as universidades e que poderia acabar com a “injustiça social que mantém os ricos nas universidades públicas” é a privatização.

De acordo com o jornal, a manutenção do ensino superior gratuito, ou seja, sem mensalidades, é uma forma de favorecer pessoas mais abastadas, pois são essas que possuem melhor formação educacional, assim, conseguem serem aprovados pelo vestibular. Ao mesmo tempo em que as pessoas mais pobres são obrigadas a pagarem por universidades particulares por serem barrados pelo vestibular por conta da falta de estudos, pela formação ruim.

A matéria ataca também os sindicatos de trabalhadores das universidades e centros acadêmicos, afirmando que essa injustiça não é combatida por eles.

Os golpistas são mentirosos. Primeiro que a causa inicial dessa desigualdade de formações educacionais é a péssima qualidade que se encontram as escolas de ensino fundamental e médio públicas. Ignora que eles mesmos são os responsáveis por isso.

A cobrança de mensalidades de estudantes de ensino superior não irá diminuir as grandes desigualdades que existem, muito pelo contrário, vai aumentar ainda mais, pois só quem tiver condições poderá fazer um curso de graduação, pós-graduação etc. Os mais pobres, que já são excluídos das melhores universidades do País seriam ainda mais impedidos de conseguirem oportunidades de cursos superiores.

Não é a crise que requer o fim do ensino público gratuito e de qualidade, mas sim os grandes empresários donos de centros educacionais, os tubarões da educação. É a burguesia que está pedindo o fim da educação pública.

Os golpistas querem consumar o golpe de Estado contra o governo petista, para impor as privatizações, mesmo que seja pela força. Não por acaso um homem do Democratas, partido capacho do imperialismo, foi colocado como ministro da educação e ele mesmo já deixou claro que seu objetivo é acabar com todo tipo de medida progressista já tomada e acabar com rapidez com toda a educação pública.

Rascunho automático 67

É preciso mobilizar toda a comunidade universitária e a população contra as medidas repressivas do Estado e reivindicar o fim do vestibular, principal ferramenta que mantém a desigualdade social, que impede os mais pobres de terem acesso à educação. A educação deve ser pública, gratuita e de qualidade para todos.

artigo Anterior

Veja aqui, o boletim Voz do Bairro edição nº 37

Próximo artigo

Esquerda norte-americana abomina Clinton

Leia mais

Deixe uma resposta