O mundo espionado: agência privada vaza dados de 2,2 milhões de pessoas

Compartilhar:

Um usuário da rede social Reddit, Chris Vickery, afirma ter obtido os dados de 2,2 milhões de pessoas da agência Thomson Reuters. A empresa diz estar trabalhando para recuperar os dados. Vickers diz que divulgará as informações em um momento oportuno, e não conta como obteve os dados vazados, que incluem gente colocada em listas de terrorismo, lavagem de dinheiro, tráficos de drogas e outras atividade do tipo em todo o mundo pela empresa.

Rascunho automático 67

O caso expõe a extensão da espionagem em todo o mundo. Nesse caso, sequer por um governo do imperialismo, mas por uma empresa privada. A Thomson Reuters fornece informações para 49 dos 50 maiores bancos do mundo e para as 10 maiores multinacionais do planeta, além de agências de inteligência governamentais em vários países. Além da violação sistemática da privacidade, com o mundo inteiro sob vigilância constante, pessoas colocadas injustamente nas listas da Thomson Reuters perderam seus empregos.

A empresa se apresenta como uma ferramenta para “detectar o risco em indivíduos e organizações, globalmente, para ajudar a revelar riscos ocultos em relações de negócios e redes de pessoas”. A empresa atuaria em 240 países, além de monitorar 530 listas de  “sanções, monitoramento e aplicação da lei”. Em um episódio de demissões do banco HSBC por causa de listas como essa, uma reportagem da BBC descobriu que a Thomson Reuters usou informações da Wikipedia e de artigos tendencioso da imprensa.

Em regimes supostamente democráticos deveria existir o direito à privacidade. Sob a ditadura atual dos regimes burgueses, no entanto, estão todos sendo o tempo todo espionados pelos governos, e até por agências privadas que compartilham informações com os governos.

artigo Anterior

25ª Conferência Nacional do PCO aprova deliberações sobre eleições

Próximo artigo

Temer sancionou lei que permite pulverização de agrotóxicos em áreas urbanas

Leia mais

Deixe uma resposta