Bairro de rico é outra coisa

Compartilhar:

A Câmara Municipal de São Paulo discutia desde 2 de junho de 2015 o projeto de lei que trata da revisão da Lei de Zoneamento (Zoneamento é o conjunto de regras que define as atividades que podem ser instaladas nos diferentes locais da cidade).

Rascunho automático 67

Na próxima quarta-feira, dia 17 de fevereiro, será votada o texto final da Lei de Zoneamento da Prefeitura do Estado de São Paulo. Foi incorporado ao texto, que deve ser aprovado, que nos bairros ricos como Jardins, Pacaembu e City Lapa não terão bares, restaurantes ou bufets.

O projeto inicial do Prefeito Fernando Haddad ampliava os corredores comerciais para diversas áreas da cidade. A cada dez anos, a lei de zoneamento deve ser retomada. O novo texto foi recebido com diversas reclamações pelos bairros ricos de São Paulo que não querem ser perturbados com o barulho dos comércios perto de suas casas.

As entidades que defendem o não comércio nos bairros ricos de São Paulo são a “Ame seu bairro” e a “Ame Jardins”, ambas apoiadas pelo Vereador Andrea Matarazzo (PSDB), pré-candidato a prefeito da cidade. Uma campanha eleitoral com apoio da direita coxinha e golpista dos “Jardins” contra o prefeito petista.

O texto que será votado no dia 17 não poderá ser vetado, pois já foi aprovado na primeira votação em dezembro de 2015. De acordo com o relator da lei, o Vereador Paulo Frange (PTB), o texto já foi alterado, na ocasião foram proibidos motéis, Albergues, Flats, pensões, supletivos em áreas comerciais tombadas pelas subprefeituras de Pinheiros, Sé e Lapa, onde estão os bairros “quarto centenários” de São Paulo.

A Direita Golpista pró-imperialista quer sossego na maior cidade do Brasil, jogando todo o tipo de comércio para os bairros mais pobres e que não tem um vereador do PSDB como morador e defensor.

artigo Anterior

Unidade da Ford na Bahia prepara demissões em massa

Próximo artigo

Votação do PL da privatização é adiada

Leia mais

Deixe uma resposta