O Encarceramento de mulheres no próximo TV Mulheres

Compartilhar:
O Encarceramento de mulheres no próximo TV Mulheres

Vai ao ar no próximo domingo, mais uma edição do programa TV Mulheres com a apresentação da companheira Perci Marrara, às 19h00 pelo Canal da Causa Operária TV no Youtube.

E o tema do programa será a evolução do encarceramento no Brasil como parte da política repressiva do Estado contra a população. O Brasil abriga uma das maiores populações carcerárias do mundo. De 2000 a 2016, o país teve um aumento de 700% de mulheres que foram condenadas e foram para a prisão. 60% dessas mulheres foram presas por causa de crimes relacionados ao tráfico de drogas, muitas delas assumindo a função dos companheiros que foram presos, ou que entraram no tráfico por meio de ameaça, coação e agressão por parte de seus companheiros.

E a situação das mulheres que estão presas, estão em condições de abandono por parte da família, 80% delas são mães, que deixam os filhos com os cuidados de parentes mais próximos. Lembrando que 43% das mulheres que estão presas no país atualmente ainda não tiveram seus casos julgados em definitivo.

Também serão debatidos no programa possíveis fatores que impactam a política prisional para as mulheres, suas opções e ausências, com a convidada Alessandra Teixeira, autora do livro “O Crime pelo Avesso”. Se inscreva em nosso canal da Causa Operária TV a COTV no Youtube e seja um dos já mais de 14 mil inscritos que estão fortalecendo a luta para se criar uma TV que fique 24 no ar e faça frente ao monopólio da imprensa capitalista, imperialista e golpista do Brasil. Além de ficar por dentro de tudo o que acontece na nossa programação como os programas Tição programa de Preto, e os já consagrados Uzwela, Colunistas ao vivo do dia, e Análise política da semana. Contribua com a nossa Vakinha Virtual com o quanto puder e o quanto quiser também. 

artigo Anterior

Forças Armadas continuam no Rio Grande do Norte

Próximo artigo

O “caos” chegou ao fim; mas as forças armadas continuam ocupando Natal, como em 64

Leia mais

Deixe uma resposta