O Presidente do Vietnã do Norte rejeita negociações de paz com os Estados Unidos

Compartilhar:
O Presidente do Vietnã do Norte rejeita negociações de paz com os Estados Unidos

A Guerra do Vietnã foi um conflito no Extremo Oriente da Ásia, na região denominada Indochina, logo após a  Segunda Guerra Mundial.  É considerado o mais duradouro e um dos maiores conflitos da história do século XX, e também uma das maiores derrotas do imperialismo.

O mundo já vivia a chamada Guerra Fria, a disputa entre Estados Unidos e União Soviética, os dois grandes vencedores da Segunda Guerra Mundial, representantes de sistemas políticos econômicos opostos.

Porém, nesse momento, a Indochina vivia um processo de crescimento e organização de movimentos de resistência à dominação estrangeira. Ligado à doutrina e ao avanço dos comunistas, espelhados na URSS e na recém-formada China comunista, esses movimentos se dedicaram à guerrilha, ao combate irregular como modo de atuação contra a dominação estrangeira, Por causa dessas disputas, as fronteiras das antigas colônias francesas sofreram profundas mudanças. A mais significativa foi a divisão do Vietnã em duas partes: O Vietnã do Sul, cuja capital era Saigon e o Vietnã do Norte, que tinha como capital Hanoi. A separação seria, em tese, provisória.

Até o dia 28 de Dezembro de 1965, quando o Presidente do Vietnã do Norte, Ho Chi Minh, rejeita negociações de paz com os Estados Unidos, este se limitava-se teoricamente a oferecer ajuda ao Vietnã do Sul, sem envolvimentos militares efetivos. No entanto, em 1965, navios americanos foram bombardeados pelos comunistas do Vietnã do Norte. Com isso, os Estados Unidos entram definitivamente na guerra.

artigo Anterior

A candidatura de Lula polariza e acirra a luta de classes

Próximo artigo

Militares anunciam: Forças Armadas estão prontas para intervir nas cidades

Leia mais

Deixe uma resposta