PCdoB, Boulos, Ciro e as diversas armadilhas da burguesia contra Lula

Compartilhar:
PCdoB, Boulos, Ciro e as diversas armadilhas da burguesia contra Lula

Dentro da esquerda há uma grande ilusão com relação a democracia, sobretudo com relação a próxima eleição presidencial. Parte da esquerda não considera que a prisão de Lula seja um mais um golpe, colocando que a simples fórmula política: revogação das ações dos golpistas irá dar a qualquer candidato de esquerda a vitória em 2018.

Lula é temido pelos golpistas por ser a maior liderança política da classe operária, sendo o personagem político que mais fortemente antagoniza com os golpistas. Assim, a medida que o golpe avança, a polarização amplia o apoio que Lula recebe da população. Tudo isso deixa uma ala do Partido dos Trabalhadores (PT) iludida com as pesquisas eleitorais, mas nem mesmo a vitória de Lula é garantida, haja visto que nem mesmo podemos ignorar um golpe militar que já é abertamente discutido pela alta cúpula das Forças Armadas.

O ex-presidente é o único candidato da esquerda com real legitimidade entre a população e os trabalhadores, isso faz com que os golpistas tenham muito receio de um futuro governo do PT. Assim, mesmo que a esquerda apresente um pedaço de papel com fórmulas muito mais revolucionárias, isso não significa que terão qualquer possibilidade eleitoral, mas apenas iludirá a população quanto ao caráter ilegítimo em que ocorrerá o pleito em 2018.

Entenda melhor todas as armadilhas da burguesia contra Lula ouvindo a Rádio Causa Operária (RCO) em:
https://soundcloud.com/jornalcausaoperaria/pcdob-boulos-ciro-e-as?in=jornalcausaoperaria/sets/momentos-analise-politica-da-semana-16122017

Há um esforço do PCO em construir um canal de transmissão de conteúdo audiovisual que possa ter programação 24 horas ao dia. Mais programas estão sendo construídos e tudo pode ser feito com mais facilidade e rapidez se houver contribuições para tanto em nossa campanha financeira. Contribua com a Causa Operária TV

artigo Anterior

Golpe militar: Villas Bôas troca o exército “democrático” pelo “guardião da nação” em mensagem de fim de ano

Próximo artigo

Quem decide agora são os juízes e não o povo

Leia mais

Deixe uma resposta