Exército tem mais de 150 generais, e nenhum deles é mulher

Compartilhar:
Exército tem mais de 150 generais, e nenhum deles é mulher

Assim como já havia sido denunciado em matéria neste Diário, sobre a formação de mulheres oficias, foi concedido às mulheres a possibilidade de ocupar a qualquer cargo na Marinha a partir da lei 13.541/2017 que libera este acesso, sendo eles para cargos como os da Armada e do corpo de Fuzileiros Navais.

No Exército são quase 200 generais presentes no exército brasileiro e nenhum deles é mulher, logo se sabe que essa hierarquia é reforçada há décadas, bem como a notícia não é de se comemorar, sabendo que se caracteriza como um grande atraso na luta das mulheres.

Um aspecto disto está em uma das primeira medidas tomada pelo usurpador do poder Michel Temer, a sua atitude foi exatamente ter sua equipe formada somente por homens, mudando desse panorama do governo golpista para a ala militar, é evidente o grande problema por detrás dessa política obscurantista acerca da mulher. Em um governo militar, onde tenha majoritariamente só homens implicará nas piores arbitrariedades e ataque contra as mulheres e aos seus direitos mais elementares.

Os militares representam a cúpula onde mais se inferioriza a figura feminina, visto que somente depois de praticamente um século foram reconhecer a participação de mulheres em cargos de alta patente. O fato de que neste momento foi “liberado” o acesso das mulheres para tais cargos não significa ainda que será de fato tão fácil o famoso acesso. Um exemplo prático disso é o caso da contra-almirante Dalva Maria Carvalho Mendes, que somente pôde alcançar o cargo devido ao fato de ser médica, que já fazia parte do corpo de saúde da instituição, sendo um ponto chave para poder alcançar o cargo.

Segundo o que diz respeito a lei que tornará possível ter mulheres nesses cargos, ao que parece a possibilidade de ascendência das mulheres será maior, mas não se pode deixar enganar, as corporações militares são a maior expressão de opressão das mulheres. O movimento de mulheres precisa estar organizado, com a eminência de um golpe militar as mulheres serão diretamente atingidas assim como fora em 1964, por isso é preciso lutar contra o golpe e seu aprofundamento para um regime militar.

artigo Anterior

Trabalhadora sem-terra é assassinada no Extremo Sul da Bahia

Próximo artigo

Eleonora Menicucci é a próxima atração do programa TV Mulheres

Leia mais

Deixe uma resposta