Comitê pela anulação do impeachment de Minas Gerais e o PCO enfrentam facistas em BH

Compartilhar:

A presidenta Dilma Rousseff foi à Belo Horizonte na última segunda-feira (11), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, participar de uma assembleia pública que tratou da participação das mulheres na política. Dilma também aproveitou para falar sobre o golpe a fazer uma análise da política nacional e das eleições de 2018, dentre outros assuntos.

Antes do início do evento, por volta das 16h00, um grupo de brutamontes fascistas, com vestes que lembram militares, aproveitando que a esquerda ainda contava com um número pequeno de militantes, esteve no local para tentar fazer uma manifestação contra a presidenta e a esquerda em geral.

Assim que começaram a gritar palavras de ordem, entretanto, foram vigorosamente confrontados pelos militantes do comitê pela Anulação do Impeachment, naquele momento composto quase exclusivamente por mulheres e também por militantes do PCO. O grupo da esquerda era pequeno, mas de forma obstinada puxou palavras de ordem como “golpistas, fascistas, não passarão” até que os fascistas vieram para o enfrentamento direto, momento em que foram brutalmente confrontados, na porrada, até recuarem e deixarem o local.

Mais tarde, quando a presidenta já fazia seu discurso no interior da Câmara, outro grupo fascista, agora do MBL, também tentou intimidar a esquerda.

Neste momento, já havia um grande número de militantes de esquerda no local, que passaram a enfrentar os fascistas também com palavras de ordem e, dando os braços, formaram uma coluna, na qual seguiram em direção aos direitistas até chegarem ao confronto direto que expulsou definitivamente a direita do local.

Os fascistas vieram confrontar a esquerda provavelmente pensando que conseguiriam intimidar os militantes. Mas o que ocorreu é que foram surpreendidos principalmente pela coragem das mulheres do comitê pela Anulação do Impeachment de BH e dos militantes do PCO, que tiveram a tarefa de iniciarem a reação enfrentando justamente o grupo de fascistas mais violentos, no meio da tarde, um grupelho que estava visivelmente preparado para agir com violência contra a esquerda.

Este é mais um exemplo de que a direita fascista tem mesmo que ser combatida violentamente onde quer que apareça, com toda energia e sem trégua, sem qualquer hesitação, até que recuem.

artigo Anterior

Mineiros ingleses fizeram quatro meses de greve contra os neoliberais: veja por que na universidade de férias do PCO

Próximo artigo

Doria mostrou que de periferia só conhece a favela cenográfica do Serra

Leia mais

Deixe uma resposta