Colunistas ao vivo “A arte tem que estar a serviço da luta contra a direita”, por Henrique Áreas.

Compartilhar:
Colunista da COTV de ontem "A arte tem que estar a serviço da luta contra a direita", por Henrique Áreas.

O novo programa da Causa Operária TV, Colunistas da COTV,  apresenta ao vivo e diariamente  um colunista do Diário Causa Operária, que faz uma breve análise da situação política pela TV online. Discutindo assuntos de política, cultura, economia, sindicais e internacionais com comentários dos fatos da semana.

O que temos pra destacar é “A arte tem que estar a serviço da luta contra a direita” que segue no tema da coluna da semana de Henrique que foi “por uma arte que lute contra o golpe” onde constata-se que desde o golpe de 2016 a maioria dos artistas se manifestou contra o golpe e apareceram várias obras que tratam do tema em focos de resistência e manifestações contra o golpe. Essa presença dos artistas, principalmente do ponto de vista da propaganda e da agitação contra o golpe, foi tão marcante que a própria direita golpista, com sua capacidade de manipulação hábil da situação política, passou a usar parte deles para seus propósitos. Assim, a rede Globo impulsionou e impulsiona manifestações controladas das “diretas já” e do “fora Temer” como uma tentativa de canalizar a luta contra o golpe para interesses golpistas. Isso gerou uma confusão política entre aqueles que gritavam diretas já e viram que na verdade essa palavra de ordem é equivocada, sendo que muitos que se colocaram abertamente contra o golpe agora acabam expressando essa confusão.

O melhor exemplo disso é que o grupo Tribalistas, também levado pela mesma onda de confusão política, chamou de “somos um só”. Ocorre que não somos um só. Estamos divididos em classes e ao negar que estamos divididos em classe, ao negar-se tomar partido em favor dos explorados, a arte deixa de existir como a expressão mais autêntica do ser-humano. Uma arte – se é que podemos chamar assim – rasa, vazia, sem conteúdo, pronta para ser utilizada pelos inimigos do povo. A ausência de política, ou melhor dizendo, a busca por uma arte sem política, é na verdade a negação da própria arte como expressão genuína do ser humano, e em última instância significa a própria extinção da arte.

Citamos a seguir um trecho do Manifesto do GARI (Grupo por uma Arte Revolucionaria e Independente), que encontra-se no numero um da Revista Breton, que diz o seguinte: “os artistas dos novos tempos não devem fechar os olhos as mazelas do mundo, ao contrário, devem deixar fluir através de si a dor e a revolta profunda em que vive a humanidade de hoje, chamamos todos os livres criadores a estabelecer  vínculos entre si e não sobre bases puramente formais mas sobre uma amizade verdadeiramente solida, tendo em comum uma determinada posição critica e radical frente a todas as imposições contrárias a vida e ao seu livre desenvolvimento”

Essa concepção tem tudo haver com a luta contra o golpe atual, pois a arte não deve ser neutra, apolítica, a arte tem que estar a serviço da revolução, ser a expressão da classe trabalhadora, que é o setor mais oprimida da população.

A seguir um trecho do Manifesto por uma arte revolucionaria Independente da FIAI (Federação Internacional de Artistas Revolucionarios Independentes)  escrito por Leon Trotsky e André Breton, significando as ideias que os marxistas devem defender diante da arte:

“ o objetivo do presente apelo é encontrar um terreno para encontrar todos os defensores revolucionários da arte, para servir a revolução pelos métodos da arte e defender a própria liberdade da arte contra os usurpadores da revolução… O que queremos: a independência da arte para a revolução, a revolução para a liberdade definitiva da arte”

Com o golpe, chamamos todos os artistas que estão vendo o que esta acontecendo com todos esses ataques fascistas, atacando a liberdade de expressão, a ameaça de golpe militar, a se unificarem e organizar um comitê de luta dos artistas contra o golpe de estado, denunciando os golpistas, pedindo a anulação do impeachment, denunciando os militares, e os fascistas em geral, sem isso a arte sera atropelada pelo golpe e o momento exige uma ação progressista, e devemos lutar pela necessidade do artista se expressar de uma maneira livre. Contra o fim da liberdade de expressão, a liberdade da imprensa e a liberdade artística!

Diante disso convidamos todos a participar da Semana Cultural organizado pelo Gari (Grupo de Arte Revolucionária e Independente) e PCO nos dias 4,5,6 de novembro no Centro Cultural Benjamim Perret / SP, todos artistas e pessoas que querem apresentar obras de arte de todos os tipos estão convidados!

Essa semana deve ser um marco no movimento dos artistas que querem lutar contra o golpe de fato e defendem uma arte livre, independente e revolucionaria. E a partir dai coloquemos em movimento uma atuação política e não essa arte neutra, sem graça, sem gosto, e sem tempero que esta muito fora de moda…

Convidamos  a acompanharem as matérias do Diário Causa Operária pela internet e o  Jornal Causa Operária semanal adquirido através de um militante próximo à você!

artigo Anterior

Quanto custa uma denúncia?

Próximo artigo

Agricultor é preso por tentar se defender em Rondônia

Leia mais

Deixe uma resposta