STF dá fôlego a Aécio Neves e adia julgamento

Compartilhar:

Estava marcado para o último dia 20, o julgamento da prisão do Senador golpista Aécio Neves no STF. O pedido de prisão feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), leva em conta a denúncia de que ele teria recebido propina de executivos do grupo J&F, sendo acusado de corrupção passiva e obstrução da justiça. Porém, após serem julgados os casos dos outros indiciados, a Primeira Turma do STF, adiou, sem data definida para retomar, o julgamento do tucano.

Além do pedido de prisão de Aécio Neves, a Primeira Turma do STF, composta pelos ministros Marco Aurélio Mello, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux, irá julgar também os pedidos de defesa de Andréia Neves, irmã de Aécio, de Frederico Pacheco, seu primo, e de seu ex-assessor parlamentar Mendherson Souza Lima que foram presos na operação Patmos da PF. Os três estavam presos, mas durante o julgamento, ficou decidido que as penas serão transformadas em prisões domiciliares com o uso de tornozeleira eletrônica.

Segundo Rodrigo Janot da PGR, que pediu o afastamento e prisão de Aécio, sua prisão preventiva é “imprescindível para garantia da ordem pública e instrução criminal, diante de fatos gravíssimos que teriam sido cometidos pelo parlamentar”. Isso mostra que para parte da burguesia mais pró-imperialista, que quer aprofundar o golpe, não importa que um dos seus aliados seja alvo de uma operação de perseguição política, que toma a forma de supostas ações contra corrupção, o que não pode acontecer no plano golpista é retroceder.

Esse processo também evidencia a disputa interna que está ocorrendo dentro do próprio partido de Aécio, o PSDB. Alguns setores do partido querem uma mudança na presidência do partido, pensando num novo nome para a eleição presidencial, ficando claro que Aécio não é mais o nome que a legenda quer lançar numa próxima eleição.

Já no Senado, caso o Supremo decida sobre a prisão do tucano, o PMDB sinalizou votar contra a cassação do mandato de Aécio Neves somente se o PSDB for unânime a seu favor e que os tucanos não abandonem a base aliada do governo, fato que desestabilizaria o governo golpista de Michel Temer.

 

 

artigo Anterior

A absolvição de Lula é o único resultado possível

Próximo artigo

Trabalhadores do BNDES esclarecem denúncias sobre o banco

Leia mais

Deixe uma resposta