A luta contra a prisão de Lula pode colocar em xeque o golpe de Estado

29790894_1702447266508308_2301895960038473728_n-868x640

Conforme esse jornal vem analisando, o golpe de Estado, que começou com a derrubada de Dilma Rousseff da presidência da República, tem como um dos objetivos mais importantes a retirada de Lula da cena política.

Sem prender Lula e tira-lo do jogo político o golpe não tem condições de seguir adiante com seus planos. Lula é o maior líder popular do País e sua popularidade só cresce como reação do povo ao próprio golpe de Estado. Por isso mesmo, sua prisão não encerra o problema do golpe.

Para que os golpistas consigam efetivamente colocar em prática todos os planos de ataque contra o povo, não basta prender Lula, como já está acontecendo. Não há dúvida que esse é um passo importante, mas é preciso ter claro que a direita ainda precisa avançar sobre Lula e as organizações populares.

Por isso, a luta pela libertação de Lula é a luta contra o próprio golpe. A mobilização em São Bernardo colocou o regime golpista em xeque. Se a política de conciliação do PT e de Lula não tivesse agido, o golpe poderia estar nesse momento enfrentando uma enorme crise política.

Por isso, está na ordem do dia organizar as caravanas para Curitiba. É preciso encher a capaital paranaense com uma única política: “liberdade para Lula”.